IFRS - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul

Edital PROPI Nº 004/2013 - Fluxo Contínuo - Projetos de Pesquisa que visam à geração de novas tecnologias e a proteção da propriedade intelectual - Edital PROPI Nº 004/2013 - Fluxo Contínuo - Projetos de Pesquisa que visam à geração de novas tecnologias e a proteção da propriedade intelectual

O Pró-Reitor de Pesquisa e Inovação do Instituto Federal de Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS), no uso de suas atribuições legais, torna público que está aberto o período de cadastramento de Projetos de Pesquisa que visam à geração de novas tecnologias e a proteção da propriedade intelectual, conforme as orientações abaixo especificadas.



 

EDITAL PROPI Nº 004/2013 - FLUXO CONTÍNUO

 

PROJETOS DE PESQUISA QUE VISAM À GERAÇÃO DE NOVAS TECNOLOGIAS E A PROTEÇÃO DA PROPRIEDADE INTELECTUAL

 

O Pró-Reitor de Pesquisa e Inovação do Instituto Federal de Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS), no uso de suas atribuições legais, torna público que está aberto o período de cadastramento de Projetos de Pesquisa que visam à geração de novas tecnologias e a proteção da propriedade intelectual, conforme as orientações abaixo especificadas.

 

1. OBJETIVOS GERAIS

1.1. Cadastrar e registrar os projetos de pesquisa e inovação a serem executados na estrutura multicâmpus do IFRS, tornando-os oficializados institucionalmente.

1.2. Estimular servidores pesquisadores produtivos a engajarem estudantes do IFRS no processo de desenvolvimento tecnológico e inovação, otimizando a capacidade da Instituição na formação de profissionais qualificados.

1.3. Contribuir para a formação de recursos humanos dedicados ao fortalecimento da capacidade inovadora.

1.4. Contribuir para a formação do cidadão pleno, com condições de participar de forma criativa e empreendedora em sua comunidade.

 

2.  DA VIGÊNCIA DO EDITAL, CADASTRAMENTO E ANÁLISE DO PROJETO DE PESQUISA

2.1. O presente edital terá vigência da data de sua publicação até o dia 31 de dezembro de 2013.

2.2. Devem ser cadastrados no SiPES/SIGProj, obrigatoriamente, todos os projetos de pesquisa e inovação que visam a geração de novas tecnologias e a proteção da propriedade intelectual com início a partir do 1º (primeiro) ou 2º (segundo) semestre de 2013.

2.3. O projeto de pesquisa e inovação deverá ser elaborado sob-responsabilidade do coordenador conforme Instruções Normativas da Pró-Reitoria de Pesquisa e Inovação (PROPI) nº 009, 010, 011 (capítulo IV) e 012/2012.

2.3.1. Na elaboração do projeto de pesquisa e inovação, é obrigatório o preenchimento dos “Recursos Financeiros” envolvidos na proposta.

2.3.2. Os dados referentes aos recursos financeiros envolvidos na proposta não serão analisados, servindo apenas para levantamento estatístico do custo para manutenção dos projetos. 

2.4. A análise dos projetos de pesquisa e inovação será realizada conforme as Instruções Normativas PROPI/IFRS nº 008/2011 e 011/2012, capítulo IV.

2.5. Para fins de comprovação da carga horária relacionada às atividades de pesquisa e inovação, a serem alocadas no Plano de Trabalho Docente, o pesquisador deverá submeter o seu projeto de pesquisa e inovação conforme os prazos estipulados pela CAGPPI do câmpus de origem da proposta.

2.6. O Diretor de Pesquisa e Inovação, ou ocupante de cargo ou função equivalente no câmpus, deverá, após análise dos projetos de pesquisa e inovação, informar o Diretor de Ensino do câmpus, mediante memorando, o nome dos docentes que tiveram seus projetos aprovados, a fim de comprovar a carga horária de atividades de pesquisa e inovação citadas plano de trabalho docente.

 

3. DOS REQUISITOS, COMPROMISSOS E DIREITOS DO COORDENADOR DO PROJETO

3.1. Ser servidor com titulação de graduação, especialista, mestre ou doutor.

3.2. Deverá pertencer a grupos de pesquisa do IFRS cadastrado no Diretório de Grupos de Pesquisa do CNPq;

3.3. Ter currículo cadastrado e atualizado na Plataforma Lattes do CNPq a no máximo 30 dias da data de submissão do projeto a este edital.

3.4. Não poderá repassar a outro a orientação de seu(s) aluno(s) voluntário(s).

3.5. Em caso de impedimento eventual do coordenador do projeto, este deverá comunicar o Diretor de Pesquisa e Inovação, ou ocupante de cargo ou função equivalente no câmpus, que deliberará acerca da continuidade da execução do projeto de pesquisa por outro servidor/pesquisador, autorizando-o, desde que a substituição não cause prejuízos ao projeto de pesquisa.

3.6. Deverá incluir o nome do aluno voluntário nas publicações e nos trabalhos apresentados em eventos científicos, cujos resultados tiverem participação efetiva do aluno.

3.7. Manter em forma de arquivo a documentação do aluno voluntário.

3.8. Aos projetos de pesquisa e inovação aprovados, o pesquisador poderá alocar carga horária em seu Plano de Trabalho Docente, conforme a Resolução nº 082/2011 do Conselho Superior do IFRS.

 

4. CONDIÇÕES DE ELEGIBILIDADE DO ALUNO VOLUNTÁRIO

4.1. Deverá estar regularmente matriculado em curso oferecido pelo IFRS, ou Instituições de Ensino parceiras, e possuir bom rendimento acadêmico comprovado através do histórico escolar atualizado.

4.2. Demonstrar potencial interesse na condução de trabalhos de desenvolvimento científico/tecnológico e de inovação.

 

5. COMPROMISSOS DO CÂMPUS

5.1. Efetuar ampla divulgação deste edital na comunidade através dos meios de comunicação disponíveis, de forma a universalizar o acesso a todos.

5.2. Toda a documentação relativa ao cadastramento dos projetos de pesquisa e inovação a este edital deverá ser mantida pela Direção/Coordenação de Pesquisa e Inovação do câmpus, em arquivo específico e em ordem, possibilitando a apresentação para a PROPI, sempre que for solicitado, pelo prazo de 05 anos.

5.3. Auxiliar, em nível de câmpus, os usuários do sistema SiPES/SIGProj.

5.4. Assegurar formalmente condições de trabalho e acesso dos estudantes e servidores/pesquisadores às instalações laboratoriais, bibliotecas ou outras, imprescindíveis à realização das atividades relativas aos treinamentos e à execução dos projetos de pesquisa e inovação cadastrados.

5.5. Oferecer a infraestrutura mínima de custeio e pedagógica, compatível com as necessidades para a execução do projeto de pesquisa e inovação aprovado pela CAGPPI, a ser executado.

 

6. ACOMPANHAMENTO E AVALIAÇÃO DOS PROJETOS DE PESQUISA

6.1. O coordenador do projeto de pesquisa e inovação deve acompanhar o desenvolvimento das atividades de pesquisa realizadas pelo(s) seu(s) aluno(s) voluntário(s).

6.2. Os projetos de pesquisa e inovação deverão ser apresentados em eventos científicos e/ou tecnológicos, conforme estabelecido pela Instrução Normativa PROPI nº 011/2012, capítulo IV.

6.3. A avaliação final dos projetos de pesquisa e inovação será feita em função dos relatórios apresentados e da apresentação em eventos científicos e/ou Tecnológicos, conforme estabelecido pela Instrução Normativa PROPI nº 011/2012, capítulo IV.

 

7. DISPOSIÇÕES GERAIS

7.1. A Pró-Reitoria de Pesquisa e Inovação do IFRS se exime de responsabilidades financeiras, patrimoniais, de pessoal ou quaisquer despesas decorrentes de fatores internos e/ou externos, relacionados aos projetos apresentados e aprovados no âmbito do presente Edital pelas CAGPPIs dos câmpus.

7.2. A qualquer tempo este Edital poderá ser revogado, retificado ou anulado, no todo ou em parte, por motivo de interesse público, sem que isso implique direito à indenização de qualquer natureza.

7.3. Os termos deste Edital somente poderão ser impugnados, mediante manifestação formal e fundamentada, apresentada à PROPI, até cinco dias úteis após a sua publicação.

7.4. Os casos omissos serão resolvidos pelo Diretor de Pesquisa e Inovação, ou ocupante de cargo ou função equivalente, e pelo agente de inovação do câmpus de origem da proposta.

 

 

 

Júlio Xandro Heck

Pró-Reitor de Pesquisa e Inovação

IFRS

 

 

(O documento original encontra-se assinado na Pró-Reitoria de Pesquisa e Inovação)