UESB - Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

Sem Financiamento - 2011(UESB) - Extensão Sem Finaciamento - 2011

Este edital não possui texto de chamada.



Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB

Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários - PROEX

Credenciada pelo Decreto Estadual N.º 7.344, de 27.05.1998

 

 


Estão abertas as inscrições aos interessados desta Universidade para a apresentação de atividades extensionistas contínuas e esporádicas sem financiamento interno, por intermédio da Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários - Proex, nas áreas de Comunicação; Cultura e História; Direitos Humanos e Justiça; Educação e Desenvolvimento Social; Meio Ambiente e Sustentabilidade; Saúde; Tecnologia e Produção; Trabalho e Políticas Públicas, de acordo com o que estabelece o presente Edital.


1. DOS CONCEITOS GERAIS

1.1. A extensão é uma prática acadêmica que se desdobra em processos educativo, cultural e científico, constituindo-se como um conjunto de ações sistemáticas e interativas, que viabiliza o pleno exercício da cidadania. É o princípio mediador capaz de operacionalizar a inter-relação teoria/prática ao se estender atuante na via efetiva da Universidade com a sociedade.

1.2. A Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários – Proex toma como parâmetro a indissociabilidade de ensino, pesquisa e extensão, e busca compartilhar, por meio dos trabalhos realizados, a reflexão necessária para a instauração de uma prática acadêmica mútua de ensino-aprendizagem.

1.3. A extensão relaciona-se com o ensino e a pesquisa no que se refere à:

a) transformação no processo pedagógico, apresentando situações de desafio e diferentes metodologias;

b) produção de conhecimento que favorece a elaboração de uma nova cultura acadêmica.


2. DOS OBJETIVOS

2.1. Geral:

Cadastrar ações de extensão classificadas em: programa, projeto, curso e evento, capazes de partilhar com a Sociedade as conquistas e os benefícios advindos das atividades acadêmico - científicas e tecnológicas geradas ou reconhecidas pela Uesb, bem como garantir um elo permanente entre estas, de forma a permitir que a Educação seja a principal mola propulsora dos processos desencadeadores das transformações críticas na Sociedade.


2.2. Específicos:

2.2.1 Fomentar a realização de ações integradas de ensino, pesquisa e extensão;

2.2.2 Apoiar e estimular propostas de extensão, especialmente as de caráter inovador;

2.2.3 Democratizar o conhecimento acadêmico;

2.2.4 Estimular a interdisciplinaridade;

2.2.5 Incentivar práticas acadêmicas que contribuam para o desenvolvimento regional;

2.2.6 Contribuir para a transformação social da comunidade alvo;

2.2.7 Contribuir para o processo de formação acadêmica e cidadã do estudante.


3. DA TERMINOLOGIA

Para fins de padronização terminológica, as seguintes definições devem ser utilizadas:

3.1. Programa – Conjunto articulado de projetos e outras ações de extensão (cursos, eventos, prestação de serviços), preferencialmente integradas a atividades de pesquisa e ensino. Tem caráter orgânico-institucional, clareza de diretrizes e orientação para um objetivo comum.

3.2. Projeto – Ação processual e contínua de caráter educativo, social, cultural, científico ou tecnológico, com objetivo específico, desenvolvido de forma sistêmica durante a vigência do Edital.

3.2.1. Para ter caráter contínuo, o Projeto deve abranger atividades de complementação permanente entre a Universidade e a Sociedade, requerendo a constante orientação e interação do Projeto com o público-alvo.

3.2.2. O Projeto pode estar vinculado a um programa (forma processual) ou ser registrado como “Projeto não vinculado a programa” (Projeto isolado).

3.3. Curso – Ação esporádica, pedagógica, de caráter teórico e/ou prático, presencial ou à distância, planejada e organizada de modo sistemático. Serão caracterizados como cursos somente aqueles que possuírem uma carga horária mínima de 08 (oito) horas, tendo uma freqüência mínima de 75% (setenta e cinco por cento).

3.3.1. As ações dessa natureza com menos de 08 horas devem ser classificadas como “evento”.

3. 4. Evento – Ação esporádica que implica apresentação e/ou exibição pública, livre ou com clientela específica, do conhecimento ou do produto cultural, artístico, esportivo, científico e tecnológico desenvolvido, conservado ou reconhecido pela Universidade.


4. DAS PROPOSTAS ELEGÍVEIS

4.1. Serão elegíveis as propostas extensionistas aprovadas pelos Departamentos e/ou Instâncias Competentes, que cumprirem os procedimentos acadêmico–administrativos da Instituição.

4.2. Somente poderão ser apresentadas e/ou reapresentadas propostas a este Edital, e participar do processo de análise e julgamento, as que não estejam em débito de apresentação de relatórios de atividades anteriores ou qualquer outra pendência com a Pró-Reitoria.

4.2.1. Toda atividade de extensão aprovada pela Câmara de Extensão do CONSEPE deverá apresentar relatório.

4.3. O Comitê de Extensão poderá re-classificar a proposta como Programa, Projeto, Curso e Evento.

4.4. As propostas deverão ser elaboradas via internet pelo SigProj, o qual está disponibilizado no endereço: http://sigproj.mec.gov.br.

4.5. Todas as ações devem ser apresentadas com cronograma físico das atividades a serem realizadas.

 

5. DOS PROPONENTES ELEGÍVEIS

5.1. Poderão apresentar propostas a este Edital: Servidores técnico-administrativos efetivos, Professores, que estejam em pleno exercício das suas atividades junto a Instituição, e Alunos da Instituição. Atividades apresentadas por discentes devem ter a orientação direta de um professor da área do Projeto. As atividades de extensão só poderão ser coordenadas por servidores técnico-administrativos com formação superior e/ou experiência comprovada, por meio de currículo na área do Projeto, o qual deverá ser anexado à proposta.

5.1.1. O coordenador da atividade extensionista, que por qualquer motivo se afastar das funções junto a Universidade, solicitará ao Departamento ou Instância Competente a indicação de substituto, o qual será comunicado à PROEX.

5.1.2. Não poderá coordenar projetos os professores ou servidores técnico- administrativos afastados integralmente de suas atividades junto à UESB.

5.2. Somente poderão apresentar propostas a este Edital e participar do processo de análise e julgamento, os coordenadores, isoladamente ou em conjunto, que não estejam em débito de apresentação de relatórios de atividades anteriores ou qualquer outra pendência com esta Pró-Reitoria.

 

6. DO DISCENTE VOLUNTÁRIO

6.1. O trabalho como voluntário de uma atividade extensionista não é remunerado e tem finalidades educacionais, científicas, culturais, recreativas ou tecnológicas, que não geram vínculo empregatício, nem obrigação de natureza trabalhista, previdenciária ou afim.

6.2. O Comitê de Extensão avaliará a solicitação e o quantitativo de discente(s) voluntário(s) para as atividades extensionistas contínuas, mediante a apresentação de justificativa da Coordenação e plano de trabalho anexo à proposta.

6.3. O início das atividades de voluntário está condicionado à assinatura do Termo de Adesão de Discente Voluntário junto à PROEX/GEAC. Nenhum coordenador de projeto ou programa extensionista está autorizado a orientar discente a desempenhar atividades, na qualidade de voluntário, antes da formalização da documentação necessária.

6.4. Os discentes voluntários receberão certificado de participação emitido pela Instituição com especificação de sua forma de participação e carga horária, em consonância com as folhas de frequência que deverão ser encaminhadas mensalmente à GEAC.

6.5. O voluntário somente poderá participar de um projeto ou programa e deverá cumprir um mínimo de 06 (seis) horas e um máximo de 20 horas semanais.

6.6. O coordenador do projeto ou programa é o único responsável por quaisquer conseqüências do não cumprimento do aqui disposto.


7. DA ANÁLISE, PARECER E SELEÇÃO DAS PROPOSTAS

7.1. Para efeito de análise da proposta o Comitê de Extensão emitirá parecer consubstanciado, considerando os seguintes aspectos:

I. Relevância acadêmica

  1. articulação ensino, pesquisa e extensão;

  2. caráter inovador.

II. Interdisciplinaridade - atenção com a inter-relação de competência e complementaridade entre áreas de conhecimento.

III. Relevância social (população a ser atendida e participação da comunidade), por meio de: