UFPB - Universidade Federal da Paraíba

FLUEX 2009 - FLUXO DE EXTENSÃO

Este edital não possui texto de chamada.



UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA

PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E ASSUNTOS COMUNITÁRIOS

COORDENAÇÃO DE PROGRAMAS DE AÇÃO COMUNITÁRIAS 

FLUXO CONTÍNUO DE EXTENSÃO DA UFPB 2009

1. OBJETIVOS

Estabelece os critérios para a elaboração de atividades de extensão no âmbito da Universidade Federal da Paraíba, e com ou sem previsão de captação de recursos financeiros, anexo a esta instrução.

2. Vigência

2.1. A vigência do Edital é de 21 de Janeiro de 2009 a 31 de Dezembro de 2009, período em que a Coordenação de Programas de Ação Comunitária (COPAC/PRAC) estará recebendo e supervisionando o registro das atividades de extensão.

2.2. Divulgação dos Resultados: até quinze dias após o registro da atividade, e avaliação pela assessoria de extensão do centro ou equivalente em outras unidades.

3. PROPONENTES

Poderão ser proponentes da atividade de extensão os docentes e os técnico-administrativos de nível superior que fazem parte do quadro efetivo de servidores da UFPB;

4. MODALIDADE DE EXTENSÃO APOIADA

As propostas de atividades de extensão deverão ser apresentadas sob a forma de Programa, Projeto, Curso, Evento e Prestação de Serviço, conforme definida na regulamentação das atividades de extensão da UFPB, no Plano Nacional de Extensão e no SIEX-IPES.

5. TEMAS

Temaspriorizados: políticas de Direitos Humanos; enfrentamento às formas de violência contra crianças e adolescentes; promoção da saúde; atenção a terceira idade; atenção a juventude; atenção aos portadores de necessidades especiais e acessibilidade; políticas de desenvolvimento regional;

6. As propostas deverão atender às seguintes diretrizes específicas:

6.1. de natureza acadêmica:

• Indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão, especialmente com o impacto na formação do estudante e na geração de novo conhecimento;

• Interdisciplinaridade.

6.2. da relação com a sociedade:

• Impacto social;

• Relação dialógica com a sociedade;

• Contribuição na formulação, implementação e acompanhamento das políticas públicas prioritárias ao desenvolvimento regional e nacional.

6.3. As propostas deverão ser formuladas e registradas diretamente no SIEX-IPES: Sistema de Informação em Extensão Universitária para as Instituições Públicas de Ensino Superior (http://www.preae.ufms.br/siex), sendo que após a data de vigência, independentemente de problemas de acesso e conexão no SIEX-IPES no último dia, todas as propostas serão desconsideradas por este Edital.

6.4. As propostas deverão:

6.4.1. explicitar detalhadamente os fundamentos teóricos que a orientam;

6.4.2. descrever, de forma, clara e precisa os objetivos; 6.3.3. explicitar os procedimentos metodológicos;

6.4.3. indicar o público-alvo e o número estimado de pessoas beneficiadas; 6.3.5. definir cronograma de execução detalhado;

6.4.5. descrever o processo de acompanhamento e avaliação, com a explicitação dos indicadores e da sistemática de avaliação;

6.4.6. registrar a experiência acadêmica e extensionista da equipe executora;

6.4.7. detalhar a infra-estrutura necessária para a execução da proposta;

6.4.8. definir ementa do curso, se a ação for do tipo curso.

6.5. As propostas de atividades de extensão não elaboradas e cadastradas no SIEX-IPES não serão enquadradas neste Edital.

• Não serão aceitas propostas de atividades elaboradas e encaminhadas a COPAC/PRAC em quaisquer outros formatos eletrônicos.

6.6.As propostas deverão ser aprovadas pelas unidades (Proponente e Aprovação) até a data limite de vigência deste Edital.

7. REQUISITOS PARA ADMISSÃO

7.1. A proposta de atividade de extensão deverá estar de acordo com as normas que regem as atividades de extensão da UFPB, disponíveis no website da PRAC (www.prac.ufpb.br).

7.2. A proposta de atividade de extensão deverá estar devidamente assinada pelo coordenador.

8. DOCUMENTAÇÃO A SER ENCAMINHADA PARA ASSESSORIA DE EXTENSÃO DO CENTRO OU COPAC/PRAC As propostas de atividades de extensão deverão ser entregues à Assessoria de Extensão do Centro ou à COPAC/PRAC, acompanhadas da seguinte documentação obrigatória:

8.1. Proposta da atividade de extensão assinada e impressa a partir do SIEX-IPES, contendo obrigatoriamente o número de protocolo gerado pelo SIEX;

9. ANÁLISE E JULGAMENTO

9.1. Caberá a assessoria de extensão dos centros e unidades e COPAC/PRAC, nos termos do Edital, a análise e julgamento das propostas.

9.2. Os critérios de julgamento deverão considerar a coerência e o conteúdo teórico das propostas.

9.3. A análise da atividade de extensão será realizada a partir dos seguintes passos:

a) recebimento das propostas das atividades de extensão;

b) conferência e confirmação no SIEX (http://www.preae.ufms.br/siex), do registro das propostas preenchidas pelos respectivos proponentes. Caso haja necessidade de alterações na proposta cadastrada, deverá ocorrer a solicitação de modificações necessárias para adequação;

c) as atividades não enquadradas poderão ser re-submetidas neste Edital desde que o coordenador realize as modificações necessárias.

10. DA ACEITAÇÃO DA ATIVIDADE DE EXTENSÃO 11. Os casos omissos serão decididos pelo Comitê Assessor de Extensão e Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários da UFPB.

 

João Pessoa, 02 de fevereiro de 2009.

Fernando Augusto Medeiro da Silva          Lúcia de Fátima Guerra Ferreira

 Coordenadora/ da COPAC                                 Pró-reitora da PRAC

        copac@prac.ufpb.br