IFRS - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul

EDITAL 01/2018 _ FLUXO CONTÍNUO - PROJETOS DE PESQUISA E/OU INOVAÇÃO DESENVOLVIDOS POR SERVIDORES DO IFRS EM CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO Lato Sensu, PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO Stricto Sensu OU PÓS-DOUTORADO - FLUXO CONTÍNUO - PROJETOS DE PESQUISA E/OU INOVAÇÃO DESENVOLVIDOS POR SERVIDORES DO IFRS EM CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO Lato Sensu, PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO Stricto Sensu OU PÓS-DOUTORADO

Este edital não possui texto de chamada.



EDITAL Nº 01/2018

 

FLUXO CONTÍNUO - PROJETOS DE PESQUISA E/OU INOVAÇÃO DESENVOLVIDOS POR SERVIDORES DO IFRS EM CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO Lato Sensu, PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO Stricto Sensu OU PÓS-DOUTORADO

 

 

A Reitora em exercício do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS), no uso de suas atribuições legais, torna público o Edital IFRS nº 01/2018 – Fluxo Contínuo - Projetos de Pesquisa e/ou Inovação Desenvolvidos por Servidores do IFRS em Cursos de Pós-graduação Lato Sensu, Programas de Pós-graduação Stricto Sensu ou Pós-Doutorado.

 

 

1. OBJETIVOS

 

1.1. Cadastrar e registrar os projetos de pesquisa e/ou inovação desenvolvidos por servidores do IFRS em Cursos de Pós-graduação Lato Sensu, Programas de Pós-graduação Stricto Sensu ou Pós-Doutorado, institucionalizando-os.

1.2. Contribuir para a qualificação dos recursos humanos do IFRS dedicados ao fortalecimento da pesquisa e da capacidade inovadora.

 

 

2.  DA VIGÊNCIA DO EDITAL E CADASTRAMENTO DO PROJETO DE PESQUISA E/OU INOVAÇÃO

 

2.1. O presente edital terá vigência da data de sua publicação até o dia 31 de dezembro de 2018 e contemplará projetos desenvolvidos no IFRS, bem como em outras instituições.

2.2. Os projetos de pesquisa e/ou inovação desenvolvidos por servidores do IFRS em Cursos de Pós-graduação Lato Sensu, Programas de Pós-graduação Stricto Sensu ou Pós-doutorado  que vierem a ser desenvolvidos, total ou parcialmente, no ano de 2018, deverão, obrigatoriamente, ser cadastrados pelo coordenador no Sistema de Informação e Gestão de Projetos (SIGProj/ SiPES), disponível em http://sigproj1.mec.gov.br.  

2.3. O coordenador de projeto de mestrado ou doutorado, deverá escolher no item “Tipo de projeto” entre as opções “PPG da IES – Mestrado”, “PPG em outra IES – Mestrado” ou “PPG em outra IES – Doutorado”, conforme o caso;

2.3.1. Para a opção “PPG da IES - Mestrado”, no campo “Informações Relevantes para Avaliação da Proposta”, do item “1.4 – Descrição”, informar o nome do grupo de pesquisa e a instituição a qual o grupo está vinculado;

2.3.2. Para as opções “PPG em outra IES – Mestrado” ou “PPG em outra IES – Doutorado”: no item “1.4.6 – Grupo de Pesquisa” informar o nome do Grupo de pesquisa e a Instituição a qual o grupo está vinculado;

2.4. O coordenador de projeto de pós-graduação lato sensu ou pós-doutorado deverá escolher no item “Tipo de projeto” a opção “Projeto Institucional”;

2.4.1. No campo “Informações Relevantes para Avaliação da Proposta”, do item “1.4 – Descrição”, deverão ser preenchidas as seguintes informações:

       a) informar se o curso é de Pós-graduação Lato Sensu ou Pós-doutorado;

       b) informar o nome do grupo de pesquisa e a instituição a qual o grupo está vinculado.

 

2.5.  Os projetos desenvolvidos por servidores do IFRS em Cursos de Pós-graduação Lato Sensu, Programas de Pós-graduação Stricto Sensu ou Pós-doutorado em andamento e já cadastrados em editais anteriores, para esse mesmo fim, deverão ser novamente submetidos ao presente edital.

2.6. O projeto de pesquisa (conforme apresentado ao programa de pós-graduação ou pós-doutorado) deverá ser anexado ao SIGProj/SiPES.

2.7. A comprovação da carga horária relacionada às atividades de pesquisa e/ou inovação, a serem alocadas no Plano de Trabalho Docente, deverá seguir as orientações da Resolução CONSUP 082/2011.

 

 

3. DOS REQUISITOS, COMPROMISSOS E DIREITOS DO COORDENADOR DO PROJETO

 

3.1. Os coordenadores do projeto de pesquisa e/ou inovação devem ser servidores efetivos do IFRS e poderão ser graduados, especialistas, mestres ou doutores.

3.2. O coordenador de projeto de pesquisa e/ou inovação deverá pertencer a grupo de pesquisa cadastrado no Diretório de Grupos de Pesquisa do CNPq.

3.3. O coordenador de projeto de pesquisa e/ou inovação deverá ter currículo cadastrado e atualizado na Plataforma Lattes a partir de 01/12/2017.

3.4. O coordenador do projeto de pesquisa e/ou inovação, regularmente matriculado em Cursos de Pós-graduação Lato Sensu, Programas de Pós-graduação Stricto Sensu ou Pós-doutorado e que não estiver em afastamento, poderá contar com discentes voluntários em pesquisa.

a) O coordenador do projeto de pesquisa e/ou inovação deverá incluir o nome do discente voluntário nas publicações e nos trabalhos apresentados em eventos científicos, cujos resultados tiverem participação efetiva do discente.

b) O coordenador do projeto deverá providenciar a entrega da documentação de indicação do(s) discente(s) conforme prevê a IN 007/2014.

c) O coordenador deverá apresentar relatório do discente voluntário (conforme modelo disponível anexo a este edital).

3.5. O coordenador do projeto de pesquisa e/ou inovação, regularmente matriculado em Cursos de Pós-graduação Lato Sensu, Programas de Pós-graduação Stricto Sensu ou Pós-doutorado e que não estiver em afastamento, terá a possibilidade de concorrer a bolsas de fomento interno (BICTES, BICET, AIPCT) em edital específico, conforme Resolução CONSUP 32/2015.

3.6. Em caso de impedimento eventual do coordenador do projeto, este deverá atender às normas da IES de origem da proposta e comunicar à CAGPPI.

 

4. DISPOSIÇÕES GERAIS

 

4.1. A Pró-reitoria de Pesquisa, Pós-graduação e Inovação do IFRS, a Direção-geral e a CAGPPI do respectivo campus se eximem de responsabilidades financeiras, patrimoniais, de pessoal ou quaisquer despesas decorrentes de fatores internos e/ou externos, relacionados aos projetos apresentados e aprovados no âmbito do presente Edital pelas CAGPPIs dos campi.

4.2. A qualquer tempo, este Edital poderá ser revogado, retificado ou anulado, no todo ou em parte, por motivo de interesse público, sem que isso implique direito à indenização de qualquer natureza.

4.3. Os termos deste Edital somente poderão ser impugnados, mediante manifestação formal e fundamentada, apresentada à PROPPI, até 5 (cinco) dias úteis após a sua publicação.

4.4. Os casos omissos serão resolvidos pela CAGPPI do campus de origem da proposta, em concordância com as normas dos Cursos de Pós-graduação Lato Sensu, Programas de Pós-graduação Stricto Sensu ou Pós-doutorado relacionado ao projeto de pesquisa.

 

 

Bento Gonçalves (RS), 05 de janeiro de 2018.

 

 

 

Tatiana Weber

Reitora em exercício do IFRS

Portaria Nº 1810, de 04 de dezembro de 2017

(O documento original encontra-se assinado no Gabinete do Reitor)