UFGD - Universidade Federal da Grande Dourados

Edital PROEX Nº15/2015 - Fluxo Contínuo para Ações de Extensão da UFGD (Sem ônus para a UFGD) - Edital PROEX Nº15/2015 - Fluxo Contínuo para Ações de Extensão da UFGD (Sem ônus para a UFGD)

Este edital não possui texto de chamada.



A Universidade Federal da Grande Dourados, por meio da Pró-Reitoria de Extensão e Cultura, torna público e convoca os extensionistas das unidades administrativas e acadêmicas a apresentarem propostas de ações de extensão a serem executadas em 2016 e 2017, de acordo com as condições definidas neste Edital e normas estabelecidas conforme Resolução nº090 de 13 de julho de 2007, do CEPEC. 1. OBJETIVO O presente edital tem por objetivo registrar o desenvolvimento de ações de extensão com ônus para as unidades proponentes da Universidade Federal da Grande Dourados – UFGD (unidades administrativas e acadêmicas), representando significativa articulação entre o ensino e a pesquisa, as demandas da sociedade e do desenvolvimento regional do Estado de Mato Grosso do Sul. 1.1 Os recursos financiadores das ações de extensão cadastradas neste edital deverão ser autorizados e advirem das unidades proponentes, e/ou de recursos de terceiros, e/ou de arrecadação. 1.2 As ações de extensão cadastradas neste edital deverão seguir o mesmo trâmite de aprovação junto à Comissão de Extensão, ao Conselho Diretor da Faculdade, à Câmara de Extensão e Cultura - CEC e ao Conselho de Ensino, Pesquisa, Extensão e Cultura - CEPEC. 2. PRAZOS 2.1 Vigência do Edital: 1 de dezembro de 2015 a 30 de novembro de 2016, período para cadastramento da ação de extensão no SIGPROJ/UFGD, www.sigproj1.mec.gov.br. 2.2 A submissão da proposta e o envio da cópia gerada pelo SIGPROJ/UFGD, após apreciação da Comissão de Extensão, acompanhado da devida resolução ou instrução de serviço do órgão proponente, deverá ser encaminhada à PROEX com, pelo menos, 30 dias antes do início da ação. 2.3 Divulgação dos resultados: será de forma contínua, após as reuniões da Câmara de Extensão e Cultura e aprovação pelo CEPEC. 3. PROPONENTES 3.1 Poderão ser proponentes das ações de extensão: a) os docentes e os técnico-administrativos que fazem parte do quadro efetivo de servidores da UFGD; e b) os discentes regularmente matriculados em cursos de Graduação e de Pós-Graduação da UFGD, desde que a data prevista para o término da execução, incluindo-se a apresentação do Relatório Final, seja de sessenta dias antes da data do término de seu curso e desde que haja um professor ou técnico-administrativo como orientador. 3.2 Será permitido ao docente visitante e/ou substituto coordenar ações de extensão, desde que a data prevista para o término da execução das atividades, incluindo-se a apresentação do Relatório Final, seja de sessenta dias antes da data do término de seu contrato com a UFGD. 3.3 Se houver recurso financeiro de terceiros ou de arrecadação, a ação de extensão deverá ter, obrigatoriamente, um gestor que será um docente ou um técnico-administrativo do quadro efetivo da UFGD. O docente visitante e/ou substituto não poderá ser, em nenhuma hipótese, gestor. 3.4 O docente ou técnico-administrativo da UFGD poderá acumular as atividades de coordenação, orientação e gestão. 4. MODALIDADE DE EXTENSÃO APOIADA 4.1 As propostas de ações de extensão deverão ser apresentadas sob a forma de Projeto, de Evento, de Curso, de Prestação de Serviço, ou de Produção e Publicação, conforme definido nas Normas de Ações de Extensão da UFGD e no Plano Nacional de Extensão. 5. TEMAS 5.1 As ações de extensão deverão integrar um ou mais temas relacionados a seguir: 5.1.1 Comunicação 5.1.2 Cultura 5.1.3 Direitos Humanos e Justiça 5.1.4 Educação 5.1.5 Meio Ambiente 5.1.6 Saúde 5.1.7 Tecnologia e Produção 5.1.8 Trabalho 6. ELABORAÇÃO DA PROPOSTA 6.1 As propostas deverão atender às seguintes diretrizes específicas: 6.1.1 de natureza acadêmica: • Indissociabilidade entre ensino e pesquisa, especialmente com impacto na formação do estudante e na geração de novo conhecimento; ou • Interdisciplinaridade. 6.1.2 da relação com a sociedade: • Impacto social; • Relação dialógica com a sociedade; ou • Contribuição na formulação, implementação e no acompanhamento das políticas públicas prioritárias ao desenvolvimento regional e nacional. 6.2 As propostas deverão ser formuladas e registradas diretamente no Sistema de Informação e Gestão de Projetos - SIGPROJ – no endereço eletrônico (http://sigproj1.mec.gov.br). Para tanto, é necessário que os extensionistas participantes do projeto estejam cadastrados no Sistema. O cadastro poderá ser feito clicando no link “Não sou cadastrado”; 6.3 As propostas das ações de extensão não cadastradas no SIGPROJ não serão enquadradas neste Edital; 6.4 As propostas serão atendidas em conformidade com as definições orçamentárias das unidades proponentes. 6.5 Os procedimentos relacionados à contratação, aquisição, pagamento, dentre outros, dos itens de despesas solicitados nas ações de extensão do presente Edital serão de inteira responsabilidade das Unidades Proponentes, respeitando-se o calendário e as normas institucionais. 7. REQUISITOS PARA ADMISSÃO 7.1 As propostas das ações de extensão deverão estar de acordo com as Normas das Ações de Extensão da UFGD, disponíveis no website da UFGD na aba referente à extensão e à cultura. 7.2 O coordenador/proponente das ações de extensão não deverá possuir quaisquer pendências em relatórios parciais e finais de ações de extensão na PROEX. 7.3 As propostas deverão possuir em sua equipe de execução discentes da UFGD. 8. DOCUMENTAÇÃO A SER ENCAMINHADA PARA A PROEX 8.1 Cópia da proposta da ação de extensão, gerada pelo SIGPROJ, devidamente aprovada pela unidade de lotação do proponente; 8.2 Cópia do parecer da Comissão de Extensão da unidade proponente; e 8.2 Cópia da resolução (ou documento equivalente) de aprovação da ação de extensão. 9. ANÁLISE E JULGAMENTO 9.1 Caberá à PROEX, por meio da Câmara de Extensão e Cultura (CEC), nos termos deste Edital, a análise e julgamento das propostas. 9.2 Os critérios de julgamento deverão considerar a coerência e o conteúdo teórico das propostas. 9.3 A seleção das propostas por meio deste Edital obedecerá duas etapas de análise: I. Etapa - Análise de enquadramento pela Coordenadoria de Extensão 9.4 A Análise de enquadramento da ação de extensão será realizada pela Coordenadoria de Extensão - COEX/PROEX, a partir dos seguintes procedimentos: a) recebimento das propostas de ação de extensão; b) preenchimento da planilha relativa à verificação de documentação obrigatória e solicitação de complementação do processo, quando for o caso; c) verificação de registro das propostas no SIGProj, preenchidas pelos proponentes. 9.5 Somente as propostas que se enquadrarem dentre os critérios acima mencionados e estiverem acompanhadas das planilhas de verificação de documentação, devidamente assinada pela Coordenadoria de Extensão COEX/PROEX, serão analisadas pela CEC. II. Etapa – Análise da natureza acadêmica, do mérito e da relevância social pela Câmara de Extensão e Cultura 9.6 A análise de natureza acadêmica deve atender as diretrizes previstas nos itens 6.1.1; 9.7 A análise do mérito deve atender as diretrizes constantes do item 5 deste Edital; a) terá maior mérito os processos que contemplarem mais de um tema constante do item acima mencionado e promoverem a articulação com o ensino e a pesquisa; 9.8 A análise da relevância social deve atender às diretrizes constantes no item 6.1.2; 9.9 As ações de extensão não enquadradas poderão ser ressubmetidas a este edital, desde que o coordenador atenda as considerações quanto ao parecer técnico da CEC/PROEX e reapresente a ação; 9.10 A CEC ainda deverá apreciar e priorizar as ações de extensão, observando os aspectos constantes do art.8 das normas de extensão e o princípio da indissociabilidade entre ensino, pesqiosa e extensão pela ordem: I - o conteúdo técnico (contextualização, objetivos, metodologia, área temática e linha de extensão), estético e artístico da proposta da ação; II – o período para execução; III – o público beneficiado; IV – a relevância social e atendimento a demandas da sociedade; V – articulação com o ensino e a pesquisa VI – a articulação entre as faculdades e outras instituições; VII – a carga horária da equipe de trabalho; VIII – a carga horária dos participantes; IX – a participação de servidores e discentes; X – a existência de remuneração; XI – a existência de recursos financeiros (Convênio ou Contrato Firmado); e XII – a transferência de tecnologia e conhecimentos. 10. DA ACEITAÇÃO DA AÇÃO DE EXTENSÃO 10.1 Após a análise do enquadramento e mérito e da relevância social da ação de extensão, a CEC deverá: a) recomendá-la; b) não recomendá-la; c) solicitar sua reformulação. 11. DISPOSIÇÕES GERAIS 11.1 Esclarecimentos e informações adicionais poderão ser obtidos na COEX (Coordenadoria de Extensão) pelos telefones (67) 3410-2885/2889 ou por correio eletrônico, no endereço: coex@ufgd.edu.br. 11.2 Os resultados obtidos pela ação de extensão apoiada por este edital, quando apresentados em eventos, cursos, comunicações em congressos e outras publicações, deverão, obrigatoriamente, constar as logomarcas da UFGD e da PROEX. 11.3 A qualquer tempo este Edital poderá ser revogado ou anulado, no todo ou em parte, por motivo de interesse público, sem que isso implique direito à indenização de qualquer natureza; 11.4 As situações não previstas no presente Edital serão resolvidas pela Câmara de Extensão e Cultura, em consonância com as Normas de Extensão da PROEX; 11.5 Os termos deste Edital somente poderão ser impugnados mediante manifestação formal e fundamentada, apresentada à Pró-Reitoria de Extensão e Cultura em até cinco dias úteis após a sua divulgação. 11.6 Poderão ser cadastradas, apenas por servidores lotados na PROEX, ações de extensão com previsão de bolsas de extensão/cultura, com vigência a partir de 01/01/2016 a 31/12/2016, que serão regulamentadas nos termos do artigo 11 do Edital PROEX/PIBEX nº 14/2015 e/ou em edital de bolsa cultura a ser publicado em 2016. Dourados, 1 de dezembro de 2015. Profª. Rute Izabel Simões Conceição Pró-Reitora de Extensão e Cultura da UFGD