«« Voltar
Por que brincadeiras de meninos e de meninas? Os jogos infantis na construção das identidades.
Protocolo do SIGProj:   68095.341.49225.14012011
De:01/04/2011  à  31/12/2011
 
Coordenador-Extensionista
  Cristina Portela da Mota
Instituição
  UFF - Universidade Federal Fluminense
Unidade Geral
  CME - Escola de Enfermagem
Unidade de Origem
  MEP - Departamento de Enfermagem Materno-Infantil e Psiquiátrica
Resumo da Ação de Extensão
  O presente projeto pretende refletir e aprofundar o conhecimento sobre a infância e as brincadeiras infantis como instrumento para a construção sócio-cultural das identidades sexual e de gênero na sociedade contemporânea brasileira, levando em conta as implicações/efeitos dessas construções para o campo da saúde. Em nossa experiência com pesquisas a respeito da infância, partimos do ponto de vista que as brincadeiras livres em espaços externos ou internos são, realmente, oportunidades privilegiadas em que as crianças podem vivenciar experiências inovadoras, explorar o proibido, tecer hipóteses sobre as coisas e, paulatinamente, afirmar sua identidade através das interações com a cultura da sociedade. Qual a relação entre os espaços destinados aos homens e mulheres e as expectativas para os meninos e meninas? É preciso aceitar que “naturalmente” a escolha dos brinquedos, das cores, das atividades sejam diferenciadas segundo o sexo? Nas brincadeiras entre meninos e meninas surgem hipóteses sobre as identidades sexual e de gênero. Desta forma, a variedade dos brinquedos e as diversas opções de brincadeiras que o ambiente escolar proporciona, devem favorecer que todos os espaços sejam ocupados por meninas e meninos indiscriminadamente.
Palavras-chave
   Jogos infantis, Identidade sexual e de gênero, Saúde coletiva
Público-Alvo
  Crianças de 6 a 9 anos de idade matriculadas na Escola Estadual Alberto Francisco Torres.
Situação
  Atividade COM RELATORIO FINAL
Contato
   Departamento de Enfermagem Materno-Infantil e Psiquiátrica.
«« Voltar