«« Voltar
Incremento a inclusão social de portadores de necessidades especiais na Universidade Federal Fluminense como uma atividade voltada para Promoção da Saúde (Cópia) 08-11-2010
Protocolo do SIGProj:   65655.341.48014.17122010
De:01/03/2011  à  01/12/2011
 
Coordenador-Extensionista
  Márcia Isabel Gentil Diniz
Instituição
  UFF - Universidade Federal Fluminense
Unidade Geral
  CME - Escola de Enfermagem
Unidade de Origem
  MEP - Departamento de Enfermagem Materno-Infantil e Psiquiátrica
Resumo da Ação de Extensão
  A lei federal 8213/91 fixa a obrigatoriedade de reserva de vagas para deficientes nos seguintes percentuais: empresas que têm entre 101 e 200 empregados 2%;de 201 a 500 3%; de 501 a 1000 4% e acima de 1000 5%.Essas vagas são para pessoas com deficiência, porém, habilitadas. Entretanto, as empresas esquecem esse programa e as pessoas não reclamam seus direitos. Cabe também lembrar que há diversas críticas sobre isso. Diz-se que os deficientes são tratados de forma assistencialista e que essa reserva de vagas fere o princípio da igualdade. Mesmo com a existência de leis, a inclusão de deficientes no mercado de trabalho ainda é um desafio; além do preconceito, os empregadores queixam-se da falta de mão-de-obra qualificada. Considerando que a Universidade Federal Fluminense é uma instituição de ensino, essa deve priorizar ações que busquem minimizar os preconceitos, fomentando atitudes que levem toda a comunidade acadêmica a aceitar cada um com suas singularidades, valorizar cada pessoa enquanto ser humano, promover a estima , assim como a convivência pacífica dentro da diversidade humana ,sabendo que esses tópicos são importantes no processo de inclusão.
Palavras-chave
   Inclusão social, direitos humanos, saúde
Público-Alvo
  Portadores de necessidades especiais da Universidade Federal Fluminense
Situação
  Atividade COM RELATORIO FINAL
Contato
   marciagentil@uol.com.br Tel 2629-9456
«« Voltar