«« Voltar
CRIAÇÃO DE FARMÁCIA VIVA NO MUNICÍPIO DE QUISSAMÃ – RJ, COMO PROMOTOR DE SAÚDE E EDUCAÇÃO
Protocolo do SIGProj:   316110.1722.152882.04112018
De:07/01/2019  à  07/01/2020
 
Coordenador-Extensionista
  Edison Luis Santana Carvalho
Instituição
  UFRJ - Universidade Federal do Rio de Janeiro
Unidade Geral
  Macaé - Campus UFRJ-Macaé Professor Aloísio Teixeira
Unidade de Origem
  univ - Polo Universitário
Resumo da Ação de Extensão
  Este projeto visa a criação de uma farmácia viva, em todos suas etapas, no município de Quissamã. Inicialmente será realizado estudos sobre o uso de plantas medicinais, organização de um banco de dados, bem como a escolha das espécies vegetais com potencial terapêutico a serem cultivadas no horto municipal, baseado nos estudo etnográfico realizado com a população e na listagem da Relação Nacional de Plantas Medicinais de Interesse ao SUS (RENISUS) e Relação Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos (RENAFITO). Além disso, serão realizados cursos de orientação em saúde para profissionais e população local. Também serão realizados cursos para agricultores da região com objetivo de fomentar a agricultura familiar. Será criado um laboratório para beneficiamento de plantas medicinais, onde também ocorrerá as práticas interdisciplinares com as escolas do Município e população. Esta proposta integra professores e alunos do curso de farmácia, química e nutrição UFRJ– Macaé com a comunidade do município de Quissamã em nível de saúde, educação e meio ambiente, através de colaborações com as respectivas secretarias municipais. As ações envolvidas contemplarão a integração multidisciplinar e interinstitucional contribuindo para a disseminação sobre o uso racional de plantas medicinais e fitoterápicos no SUS auxiliando na promoção da Saúde da população e na inserção de novas práticas ensino-aprendizagem em diferentes áreas do conhecimento.
Palavras-chave
   Farmácias-Vivas, Plantas-medicinais, etnografia, SUS, fitoterápicos
Público-Alvo
  O público alvo do projeto está dividido em categorias e por etapas: Primeira etapa - População urbana e rural do município de Quissamã para aplicação do Questionário etnográfico, onde será aplicado cerca de 500 questionários. Segunda Etapa - Curso para os agentes de saúde do município e profissionais envolvidos nos Postos de Saúde do SUS (médicos, enfermeiros, farmacêuticos, nutricionistas, auxiliares em geral) com objetivo de criar uma consciência com relação ao uso de plantas medicinais no local de trabalho, como piloto teremos 2 postos de Saúde e disponibilizaremos inicialmente 50 vagas com carga horária de 20 horas, divididos em 2 turmas de 25 devido a disponibilidade do local para realização dos cursos. havendo Demanda maior serão abertas novas turmas. Terceira Etapa - Curso para os produtores rurais, agricultores do município, sobre procedimentos agronômicos e plantas medicinais disponíveis na horta com objetivo de fomentar agricultura familiar e incentivar o plantio para obtenção da matéria-prima vegetal para a etapa da farmácia viva II e melhora da renda familiar. Quarta Etapa - Nesta etapa serão oferecidos curso para população em geral sobre plantas medicinais aspectos gerais, usos e cuidados. Os curso terão duração de 8 horas com prática no preparo de remédios caseiros. Também cursos sobre saúde e cuidados com plantas medicinais. Quinta Etapa - distribuição de plantas medicinais do horto para a população. Sexta Etapa - Distribuição para a comunidade de uma Cartilha, já preparada para o município de rio das ostras com uma previsão de tiragem de 1000 mil exemplares, para orientação da população sobre uso correto de plantas medinais. Inicialmente, o número de professores é para as atividades propostas, mas futuramente, a medida que o projeto vai avançando outros professores serão inseridos. Com respeito aos alunos foi considerado o número de alunos entrantes e passíveis de participar no projeto. Dentre as escolas do município duas mostraram-se interessadas na participação deste projeto a primeira foi a Escola Municipal Professora Ilka Almeida e Escola Municipal Ignácio Hugo de Souza, sendo que a primeira atende 265 alunos e a segunda atende 110 alunos. Estima-se que em relação a agricultores o projeto abarcará cerca de 30 famílias e, no que se refere aos agentes de saúde tem-se um número estimado de aproximadamente 30 profissionais, enquanto que no que se refere aos agentes rurais um número aproximado de 10 profissionais. Além destas duas escolas se terá a Unidade de Saúde de Caxias, com 4421 usuários inscritos e a Unidade de Saúde do Carmo com 2471 usuários inscritos. Neste sentido, dos cerca de 7500 possíveis, somente incluímos no público 2000 pessoas. O público alvo do projeto inicial tem diversos seguimentos da população de Quissamã, mostrando toda a interdisciplinariedade do projeto que tem enfase especial na Educação e saúde. Cabe salientar que o projeto tem objetivo de manter um local de ensino, extensão e pesquisa que é possível o tripé da Universidade empregando plantas medicinais.
Situação
  Atividade
Contato
  
«« Voltar