«« Voltar
Uso de extratos vegetais sobre a não preferência para alimentação e desenvolvimento de Plutella xylostella L. junto a pequenos produtores da região de Dourados, MS (ODS 12)
Protocolo do SIGProj:   310843.1731.11241.14082018
De:01/01/2019  à  01/07/2020
 
Coordenador-Extensionista
  Rosilda Mara Mussury Franco Silva
Instituição
  UFGD - Universidade Federal da Grande Dourados
Unidade Geral
  FCBA - Faculdade de Ciências Biológicas e Ambientais
Unidade de Origem
  Bio. - Ciências Biológicas - Bacharelado
Resumo da Ação de Extensão
  Plutella xylostella é um dos principais lepidópteros que causam prejuízos a culturas de brássicas em todo o mundo, sendo responsável por gastos anuais para o seu controle. O controle químico ainda é o mais utilizado devido a sua praticidade, porém sucessivas aplicações inadequadas têm selecionado populações resistentes aos diferentes inseticidas presentes no mercado e requer a utilização de estratégias alternativas de controle, na qual se destaca a aplicação de inseticidas botânicos. Na presente pesquisa será avaliado o efeito de extratos aquosos de Schinus terebinthifolius, Anonna coriacea, Anonna crassiflora, Serjania marginata, Jacaranda decurrens subsp. Symmetrifoliolata, Jacaranda mimosifolia, Ludwigia nervosa, Campomanesia guazumifolia; Campomanesia adamantium e Campomanesia xanthocarpa, sobre o ciclo biológico de P. xylostella. Para isso, discos de couve serão mergulhados nos diferentes tratamentos (plantas) na concentração de 10% e disponibilizados diariamente para as lagartas. Serão avaliados os parâmetros de duração e viabilidade larval e pupal, peso de pupas, razão sexual, longevidade de machos e fêmeas, número e viabilidade de ovos, período de incubação e dias de oviposição. Os dados obtidos serão submetidos a análise de variância e as médias comparadas pelo teste Tukey a 5% de probabilidade. O extrato que apresentar melhor potencial em laboratório será oferecido para testes em campo com os produtores, acompanhado e avaliado por meio de um questionário previamente validado em 2018 a qualidade do produto à campo. Espera-se com esse trabalho buscar nas plantas de Mato Grosso do Sul, fontes de potenciais substâncias ativas como uma alternativa ao controle convencional de insetos-praga.
Palavras-chave
   insecta, Controle de pragas, Inseticida botânico
Público-Alvo
  Pequenos produtores dos bairros localizados nas regiões elencadas, hortas comunitárias da região, entre outros.
Situação
  Atividade EM ANDAMENTO
Contato
  
«« Voltar