«« Voltar
Estudos críticos sobre o conservadorismo brasileiro
Protocolo do SIGProj:   306984.1713.222648.25052018
De:30/07/2018  à  30/12/2018
 
Coordenador-Extensionista
  Leonardo Freitas Sacramento
Instituição
  IFSP - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo
Unidade Geral
  PRX - Pró Reitoria de Extensão
Unidade de Origem
  SRT - Sertãozinho
Resumo da Ação de Extensão
  O curso objetiva analisar criticamente os fundamentos sociológicos, históricos e políticos da formação do pensamento e das práticas do conservadorismo brasileiro. Para isso, o curso propõe-se a analisar as relações históricas, iniciando-se pela colonização, e como tais relações impactaram objetivamente e subjetivamente a prática social brasileira e as instituições. As práticas sociais brasileira impõem um conjunto de mediações práticas e simbólicas que impedem a implantação de um Estado garantidor e efetivador de direitos, especialmente aqueles construídos no Iluminismo e na Revolução Francesa. Entender a sentença atualmente formada e difundida na sociedade brasileira segundo a qual direitos seria algo negativo, especialmente os Direitos Humanos, torna-se fundamental não somente para a compreensão da sociedade brasileira, mas para a construção de políticas públicas e novas práticas sociais que objetivem ultrapassar práticas que legitimam a desigualdade social e a ausência de direitos a segmentos historicamente marginalizados. O curso será dividido em quatro eixos: 1) Religião e conservadorismo; 2) A racionalidade econômica e política no Brasil Colônia e no Império; 3) A contenção dos libertos; e 4) Da revolução autocrática ao neoliberalismo. Acredita-se, baseado em estudos de Jessé de Souza (2017), Robert Conrad (1978) e Juremir Machado da Silva (2017), entre outros, que o conservadorismo brasileiro deve ser explicado pelo escravagismo, superando-se a ideia comum de que os problemas e o conservadorismo brasileiro seriam frutos de legado da colonização de Portugal (Sérgio Buarque de Holanda). Nesse sentido, fazer o diálogo entre o passado e o presente significa descortinar os fundamentos do conservadorismo brasileiro.
Palavras-chave
   conservadorismo, escravagismo, racismo, economia, relações sociais
Público-Alvo
  Professores da rede pública municipal e estadual, professores universitários, estudantes de graduação, estudantes de pós-graduação e representantes de movimentos sociais e sindicatos
Situação
  Atividade EM ANDAMENTO
Contato
  
«« Voltar