«« Voltar
Inclusão social e alimentação saudável na Comunidade Mbya Guarani da Aldeia do Cantagalo
Protocolo do SIGProj:   295132.1585.76322.04032018
De:01/04/2018  à  29/10/2018
 
Coordenador-Extensionista
  Claudio Fioreze
Instituição
  IFRS - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul
Unidade Geral
  Viamão - Câmpus Viamão - Extensão
Unidade de Origem
  EXT - Extensão
Resumo da Ação de Extensão
  A aldeia guarani do Canta Galo de Viamão, possui 42 famílias numa área de 250 hectares, sendo a maior parte desta área de vegetação nativa. A média de área de cultivo por família é de apenas 0,20 ha. No local há unidade de saúde e uma escola estadual de ensino fundamental e médio, a qual busca articular os saberes indígenas com a cultura geral. Cultivam diversos alimentos tradicionais, como milho, feijão, batata doce, aipim, amendoim, e um pouco de frutíferas e aves. A renda provém basicamente da comercialização do artesanato e políticas sociais (bolsa família). A dieta, porém, é pobre em sais minerais, proteína e vitaminas. Desde 2016, se começou a produzir hortaliças com assistência da Emater, para subsistência, alimentação escolar (PNAE) e alguma renda suplementar. Em parcerias diversas, se fez mutirões para o plantio de frutíferas nativas, que devem continuar. Além disso, a comunidade demanda sempre melhorias do solo, que está bastante desgastado, fazendo a recuperação ecológica deste solo, de modo a ampliar a produtividade e a qualidade da produção, em especial daquelas famílias interessadas em produzir para sua dieta, para alimentação escolar local e eventuais feiras de produtores. Também se quer incrementar a mata nativa via sistemas agroflorestais, enriquecendo a mata com espécies como a erva-mate (para consumo próprio) e taquara (para o artesanato). Portanto, a produção agroflorestal se apresenta como uma alternativa altamente viável e sustentável, em especial num contexto de fragilidade nutricional e de poucos recursos para investimento e custeio da produção.
Palavras-chave
   agroecologia, segurança alimentar, hortas, sementes, solos
Público-Alvo
  42 famílias (180 pessoas) moradoras da Comunidade Guarani da Aldeia Indígena Cantagalo 250 alunos dos cursos técnico-tecnólogo da área ambiental e , serviço público e cooperativismo Docentes, técnicos
Situação
  Atividade EM ANDAMENTO
Contato
   - uso do facebook e sites institucionais - confecção de folder do projeto e banners para participação em mostras e eventos. - mala direta para participantes (mailing)
«« Voltar