«« Voltar
SÍNDROME DO PÂNICO E FIBRILAÇÃO ATRIAL: INTERFACES CLÍNICAS E PERSPECTIVAS TERAPÊUTICAS COM USO DO CLONAZEPAM
Protocolo do SIGProj:   287183.1136.298646.13122017
De:01/02/2018  à  01/02/2020
 
Coordenador-Extensionista
  Andre Barciela Veras
Instituição
  UEMS - Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul
Unidade Geral
  Campo Grande - Unidade Universitária de Campo Grande
Unidade de Origem
  Medicina - Coordenação do Curso de Medicina
Resumo da Ação de Extensão
  Existe uma coexistência ou aumento do risco de doenças cardíacas em pacientes com Transtorno do Pânico. No entanto, uma hipótese causal ainda não foi bem estabelecida. A Fibrilação Atrial é a arritmia mais prevalente do mundo. Fatores de risco psicológicos, cardiopulmonares e comportamentais geram alterações elétricas e estruturais nas aurículas promovendo processos de reentrada e ruptura de onda. O curso da fibrilação atrial paroxística é caracterizado por desintegração funcional de sistemas cerebrais inespecíficos. Um agonista atípico de receptores de benzodiazepínicos, clonazepam, efetivamente influencia mecanismos neurogênicos que provocam a fibrilação atrial. Objetivo: Identificar a prevalência de Transtorno do Pânico entre pacientes com fibrilação atrial em atendimento ambulatorial especializado e testar o efeito adjuvante do clonazepam sobre as manifestações psíquicas e cardiológicas de pacientes com fibrilação atrial. Método: Pacientes com fibrilação atrial serão encaminhados pelos cardiologistas responsáveis. O clonazepam será associado ao tratamento habitual do paciente do grupo que sofrerá intervenção. O grupo controle será acompanhado sem o uso de placebo, mantendo seu tratamento cardiológico habitual. Será verificada a ocorrência de sintomas de pânico, sintomas cardíacos efeitos colaterais. A mostra será composta por 40 indivíduos com história de ataques de pânico e 40 indivíduos sem história de ataques de pânico. Cada grupo será randomicamente dividido em grupos intervenção e controle, resultando em 4 grupos de 20 indivíduos. O grupo de pacientes com fibrilação atrial e pânico será denominado PFA e o grupo de pacientes com apenas com fibrilação atrial será denominado FA. Os 4 grupos serão denominados TxPFA, ControlePFA, TxFA e COntrolesAF.
Palavras-chave
   Transtorno do Panico, Fibrilação Atrial, Clonazepam
Público-Alvo
  
Situação
  Atividade EM ANDAMENTO
Contato
  
«« Voltar