«« Voltar
COMER E CONVERSAR É SÓ COMEÇAR - A RODA DE CONVERSA COMO FERRAMENTA DE CONTRUÇÃO DOS SABERES CULINÁRIOS EM MACAÉ
Protocolo do SIGProj:   284137.1554.219837.22112017
De:10/01/2018  à  10/01/2019
 
Coordenador-Extensionista
  Márcia Regina Viana
Instituição
  UFRJ - Universidade Federal do Rio de Janeiro
Unidade Geral
  Macaé - Campus UFRJ-Macaé Professor Aloísio Teixeira
Unidade de Origem
  univ - Polo Universitário
Resumo da Ação de Extensão
  A realidade na qual se insere esta ação concentra-se na intenção de conhecer a expressão culinária da população do Município de Macaé, cidade que recebe um curso de formação de nutricionistas e que utiliza seus equipamentos sociais como campo prático complementar à formação desses estudantes. Macaé mostra história peculiar de desenvolvimento de tradição sócio cultural. Cidade explorada pela indústria petrolífera, se organizou com características de metrópole. Em investigação sobre a culinária macaense, documentos resgatados apontam a pesca como atividade econômica predominante, diretamente relacionada à alimentação local, mas com poucos registros acerca de outros produtos de atividade econômica. Em visita ao Museu da Cidade/Solar dos Mellos foi sugerido entrevistar moradores antigos para resgatar receitas e o contexto histórico da alimentação local. Esse projeto tem a intenção de identificar receitas culinárias que contem a história de tradição alimentar, a história das peculiaridades do desenvolvimento social local que contribuam para a compreensão das atuais práticas alimentares e de seu patrimônio alimentar. As rodas de conversa propiciarão a metodologia capaz de promover as falas de resgate das memórias em torno dos modos de viver e de comer. Entende-se que esta iniciativa irá ao encontro dos princípios da Política Nacional de alimentação e Nutrição, quando busca afirmação da cultura alimentar regional e da culinária como elementos de promoção da alimentação adequada e saudável e também aos princípios do Marco de Referência para Educação Alimentar e Nutricional para as políticas públicas.
Palavras-chave
   alimentação e nutrição, alimentação e cultura, patrimônio culinário
Público-Alvo
  O público alvo serão os moradores de territórios adscritos às unidades de saúde contactadas para serem parceiras desta ação. Tomando-se como referencial inicial o número de 15 participantes por roda de conversa, teremos um total estimado de 150 participantes diretos.
Situação
  Atividade EM ANDAMENTO
Contato
   O contato de divulgação da ação será definido quando da visita da equipe executora na unidade de saúde definida como parceira inicial.
«« Voltar