«« Voltar
Origem e diversificação de vertebrados terrestres na Floresta Atlântica Brasileira
Protocolo do SIGProj:   283117.1430.294715.24092017
De:22/09/2017  à  31/12/2020
 
Coordenador-Extensionista
  Diogo Borges Provete
Instituição
  UFMS - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Unidade Geral
  INBIO - Instituto de Biociências
Unidade de Origem
  CPQ - Comissão Setorial de Pesquisa
Resumo da Ação de Extensão
  A Floresta Atlântica (FA) é um dos hotspot globais de conservação devido ao grande número de espécies endêmicas sob alto grau de ameaça. Vários modelos têm sido propostos para explicar as causas da alta biodiversidade neste bioma. Por exemplo, a teoria de refúgios propõe que áreas são mais ricas em espécie atualmente porque foram climaticamente estáveis durante o Plio-Pleistoceno. Por outro lado, barreiras de dispersão e especiação alopátrica parecem ser importantes para determinar a diversidade genética de algumas espécies. No entanto, ainda não existe consenso sobre a importância relativa destes modelos ou como eles variam ao longo do espaço e entre organismos com diferentes habilidades de dispersão e tolerância térmica. Logo, iniciativas que integram abordagens de áreas como ecologia, macroevolução e evolução fenotípica podem contribuir para formar um cenário amplo sobre os processos chave na formação da biota da FA. Neste projeto pretendo explorar como a diversidade funcional de mamíferos não voadores, anfíbios e aves varia espacialmente e quais suas causas subjacentes. Para tanto vou utilizar dados já disponíveis na literatura e compilar um banco de dados inédito para anfíbios da região. Além disso, vou utilizar métodos filogenéticos comparativos para investigar a evolução destes atributos ao longo das filogenias de espécies de cada grupo. Por fim, vou investigar como o nicho climático influenciou a taxa de evolução destes atributos. Diferentemente de estudos envolvendo somente riqueza de espécies, este conjunto de análises permitirá inferir mecanismos ecológicos e evolutivos envolvidos na distribuição de facetas complementares da biodiversidade.
Palavras-chave
   Diversidade, Macroevolução, Macroecologia, Biogeografia
Público-Alvo
  
Situação
  Atividade EM ANDAMENTO
Contato
  
«« Voltar