«« Voltar
INFLUENCIA DA MICROBIOTA INTESTINAL SOBRE A SINALIZAÇAO DE VIAS HIPERTROFICAS EM RATOS SUBMETIDOS AO EXERCICIO DE FORÇA
Protocolo do SIGProj:   282451.1429.225847.09102017
De:01/08/2017  à  01/08/2020
 
Coordenador-Extensionista
  Jeeser Alves de Almeida
Instituição
  UFMS - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Unidade Geral
  FAMED - Faculdade de Medicina
Unidade de Origem
  CPQ - Comissão Setorial de Pesquisa
Resumo da Ação de Extensão
  Trata-se de um projeto de pesquisa voltado ao entendimento da contribuição da microbiota intestinal nos processos de hipertrofia muscular esquelética mediada pelo treinamento de força (TF). A utilização do TF é amplamente difundida pelo mundo, seja como atividade complementar de outros esportes, seja como atividade esportiva de rendimento, lazer ou até mesmo para tratamento de diversas doenças. A ação do TF no organismo reflete a reorganização dos tecidos musculares, os quais estão envolvidos inúmeros processos de reparo tecidual, intimamente relacionados com a síntese proteica. A ativação de proteínas G, PI3k, FAK e mTOR atuam como importantes protagonistas no processo de hipertrofia muscular. Entretanto, algumas lacunas precisam ser elucidadas em relação ao processo de sinalização celular. Dentre diferentes fatores, pode-se destacar a comunidade microbiana residente no trato intestinal do organismo. Adicionalmente, sabe-se que o exercício físico (aeróbio) pode modular a composição desta microbiota e consequentemente promover alterações no trato gastrointestinal que estão relacionadas ao processo de emagrecimento. Curiosamente, não foi encontrado nenhum estudo relacionado a alteração da microbiota intestinal e TF, tampouco a influencia de diferentes bactérias na sinalização celular para hipertrofia. Sendo assim, trata-se de um estudo inovador e pioneiro no entendimento da hipertrofia muscular e suas possíveis associações com a microbiota intestinal.
Palavras-chave
   treinamento de força, metagenomica, metabolomica, modelo animal
Público-Alvo
  
Situação
  Atividade EM ANDAMENTO
Contato
  
«« Voltar