«« Voltar
Práticas mecânicas, vegetativas e edáficas na recuperação de áreas degradadas na agricultura familiar no município de Tacuru/MS.
Protocolo do SIGProj:   279238.1523.277492.03082017
De:01/10/2017  à  01/08/2018
 
Coordenador-Extensionista
  JoÃo Carlos GonÇalves Vilhalba
Instituição
  UEMS - Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul
Unidade Geral
  Mundo Novo - Unidade Universitária de Mundo Novo
Unidade de Origem
  Gestão Ambiental - Curso de Tecnologia em Gestão Ambiental
Resumo da Ação de Extensão
  A maior causa da degradação dos solos está associada ao manejo inadequado dos recursos naturais. Na agricultura moderna, destacam-se o monocultivo, o uso indiscriminado de agroquímicos e fertilizantes, a exposição do solo pelo desmatamento indiscriminado, pelas queimadas e/ou pelo manejo com cultivos que não propiciem proteção adequada ao solo e a destruição de sua estrutura original por práticas como aração e gradagem, excesso de tráfego de máquinas e manejo de animais acima da capacidade de suporte das pastagens. Já na agricultura familiar a maior causa da degradação dos solos está diretamente atrelada à falta de conhecimentos técnicos pelos agricultores e do acesso à extensão rural. Atualmente, as práticas mecânicas, aliadas as práticas vegetativas e as práticas edáficas tem sido utilizadas com muito êxito na recuperação de áreas degradadas na agricultura familiar brasileira. Isso deve-se, principalmente, aos baixos custos de implantação e por poder ser realizada em qualquer propriedade. Além de serem técnicas que o produtor rural aprende a executar com uma certa facilidade. Assim, o objetivo deste trabalho será utilizar práticas mecânicas, vegetativas e edáficas na recuperação de áreas degradadas, na agricultura familiar no município de Tacuru em Mato Grosso do Sul.
Palavras-chave
   conservação do solo, educação ambiental, áreas de preservação permanente, leguminosas
Público-Alvo
  
Situação
  Atividade COM RELATORIO FINAL
Contato
  
«« Voltar