«« Voltar
1. Introdução 1.1 Identificação da Ação Título: Terapia Ocupacional no Manejo e Controle da Dor de Pacientes Hospitalizados
Protocolo do SIGProj:   276698.1329.251021.23062017
De:14/08/2017  à  31/12/2017
 
Coordenador-Extensionista
  Daniel Gustavo de Sousa Carleto
Instituição
  UFTM - Universidade Federal do Triângulo Mineiro
Unidade Geral
  UGP - Unidade Geral Padrão
Unidade de Origem
  HC - Hospital de Clínicas
Resumo da Ação de Extensão
  Dor pode ser definida como uma experiência sensorial e emocional desprazerosa, representando um acontecimento de efeito doloroso que envolve aspectos fisiológicos, sensitivos, emocionais e culturais. A vivência da queixa dolorosa resulta em alterações biológicas, psicossociais e sofrimento de quem a sente, além de prejuízo no sono, trabalho, movimentação e deambulação, humor, capacidade de concentração, relacionamento familiar, atividade sexual e outros domínios da vida cotidiana, justificando a intervenção terapêutica ocupacional. Para o ideal manejo e controle da dor de pacientes hospitalizados, o terapeuta ocupacional pode intervir no sentido de promover a melhoria do estado de saúde e o máximo nível possível de qualidade de vida para o paciente e seus familiares e ou cuidadores; as relações interpressoais e atividades significativas, mantendo algum grau de domínio de vida, ainda que na presença de perda funcional; a manutenção da vida ativa do paciente, com conforto e dignidade, no hospital, na residência e nos espaços sociais de trabalho e lazer, com a reorganização da estrtura da vida cotidiana; o alívio e controle da queixa dolorosa, com melhora ou restauração da capacidade funcional e do desempenho ocupacional, em sua multiplicidade de fatores - físicos, psíquicos, espirituais e sociais; o máximo nível de independência e/ou autonomia para o desempenho das AVDs e outras atividades cotidianas, maximizando seu desempenho funcional e ocupacional; e o processo de exploração, junto ao paciente e à família, de suas possibilidades e habilidades nas tarefas física, cognitivas e psicossociais, eliminando, reduzindo ou evitando os processos de exclusão social.
Palavras-chave
   Terapia Ocupacoinal, Dor, Hospitalização
Público-Alvo
  O público-alvo de pessoas que serão diretamente beneficiadas na execução da atividade (neste caso, pacientes hospitalizados no setor de ortopedia do Hospital de Clínicas da UFTM) foi estimado em 500 pacientes, considerando o período de execução das atividades de extensão. O número estimado de pessoas beneficiadas será composto por pacientes (aproximadamente 500 pessoas), discentes (8 acadêmicos do curso de Terapia Ocupacional da UFTM) e técnico administrativo (um terapeuta ocupacional da Unidade de Reabilitação do Hospital de Clinicas da UFTM), totalizando, dessa forma, 509 pessoas.
Situação
  Atividade COM RELATORIO FINAL
Contato
   Telefones e e-mail para contato 34 991809080 34 33185265 (ortopedia, HC UFTM) dgustavosc@gmail.com Falar com o terapeuta ocupacional Daniel Carleto
«« Voltar