«« Voltar
APROXIMA: transferência de conhecimento pela aproximação entre a graduação em arquitetura e urbanismo e a sociedade civil de baixa renda, através da consolidação do EMAU e do Canteiro Experimental Integrado da FAU - UFRJ
Protocolo do SIGProj:   274433.1484.229754.31052017
De:30/06/2017  à  30/06/2018
 
Coordenador-Extensionista
  Vera Regina Tângari
Instituição
  UFRJ - Universidade Federal do Rio de Janeiro
Unidade Geral
  CLA - Centro de Letras e Artes
Unidade de Origem
  FAU - Faculade de Arquitetura e Urbanismo
Resumo da Ação de Extensão
  Este projeto visa construir respostas à demanda de entidades comunitárias organizadas que buscam apoio técnico e político na universidade para canalizar reivindicações ao poder público. Trata também da oportunidade de colocar alunos de graduação do curso de Arquitetura e Urbanismo em contato com problemas encontrados em favelas, onde vivem 20% da população do Rio de Janeiro. Contempla também as adversidades presentes nas áreas rurais e urbanas onde populações sofrem com a falta de auxílio, amparo técnico e políticas públicas de habitação e tratamento dos espaços públicos e coletivos. Desta maneira, os estudantes podem exercitar a cidadania, sob orientação por parte do corpo docente da FAU/UFRJ e outras unidades acadêmicas. Propõe-se apoiar a consolidação do Escritório Modelo de Arquitetura e Urbanismo da UFRJ (EMAU-UFRJ), iniciativa estudantil vinculada às diretrizes da Federação Nacional dos Estudantes de Arquitetura e Urbanismo (FeNEA), voltada à prática projetual comprometida com a sociedade, especialmente com as populações de baixa renda. O foco da atuação é a realização de plano de ocupação das comunidades envolvidas, voltado à regularização fundiária e urbanística, com possível execução de obras construtivas de pequeno porte, preferencialmente no espaço coletivo, que venham a ser utilizadas como soluções com potencial de replicação. Enfatiza a troca de saberes relativos a processos construtivos e o seu rebatimento na produção habitacional e da cidade, proveniente do conhecimento acadêmico e das práticas profissionais ou não profissionais na execução de obras, em benefício de residentes em favelas e assentamentos. O projeto dá sequência às atuações realizadas nos três anos anteriores.
Palavras-chave
   habitação, direito à cidade, urbanização de favelas e assentamentos, bioconstrução e permacultura, escritório modelo
Público-Alvo
  As ações do EMAU/UFRJ já possuem uma aproximação a Favela Indiana, na cidade do Rio de Janeiro, durante a vigência do projeto, cuja população totalizava 887 habitantes, residindo em 298 domicílios, pelo Censo de 2010 do IBGE. Planeja-se consolidar a parceria com o Assentamento do MST Terra Prometida, no Município Duque de Caxias, com uma população aproximada de 300 habitantes. São também considerados como público-alvo os dirigentes e técnicos governamentais e representantes de entidades que vêm lidando com a favela e com o assentamento. Inclui-se nesse público alvo os alunos de graduação e pós-graduação da UFRJ relacionados às atividades propostas.
Situação
  Atividade COM RELATORIO PARCIAL
Contato
   abrico.ufrj@fenea.org https://www.facebook.com/abrico.ufrj
«« Voltar