«« Voltar
Homenagem a Carucango
Protocolo do SIGProj:   268148.1484.246874.19042017
De:30/06/2017  à  30/06/2018
 
Coordenador-Extensionista
  Caroline Guilherme
Instituição
  UFRJ - Universidade Federal do Rio de Janeiro
Unidade Geral
  Macaé - Campus UFRJ-Macaé Professor Aloísio Teixeira
Unidade de Origem
  univ - Polo Universitário
Resumo da Ação de Extensão
  Após reuniões e debate no grupo composto pela Associação de Capoeira Raízes de Aruanda, coletivos negros macaenses como o Só Podia Ser Preto e Panelada de Crioula, junto ao Projeto de Extensão 'Promoção à Saúde Integral da População Negra e Valorização da História e Cultura afro-brasileira - Axé Saúde', com a finalidade de promover o resgate da cultura afro-brasileira regional, em 31/03/2017 realizamos o evento em Homenagem a Carukango. Carukango foi o líder do segundo maior quilombo do Brasil localizado na região de Macaé/RJ. O evento foi inspirado próximo a data de sua morte em 01/04/1831 quando o Coronel Antão de Vasconcellos dizimou o quilombo. A celebração é em prol da história de resistência e liderança que visa fortalecer o resgate histórico e a auto-estima da população negra local. O evento realizado no dia 31/03/2017 incentivou a produção de poesias dos participantes para recitar durante o evento, que também contou com a apresentação de documentário e da história de carukango por alunas de graduação e todos integraram-se nas apresentações culturais de capoeira, maculelê, samba de roda e jongo. Em 30/03/2018 buscamos promover novamente o evento, devido a sensibilização histórica e cultural afro-brasileira loco-regional, e a avaliação positiva dos participantes. Caso haja financiamento gostaríamos de complementar o evento com visita dos participantes no local onde localizava-se o quilombo, além de realizar uma mesa redonda com especialistas sobre a história de carukango, produzir um jogo educativo e compilação de livro com ilustrações e poesias sobre o tema.
Palavras-chave
   saúde da população negra, cultura, racismo, afroamericanos
Público-Alvo
  O público alvo é a população macaense em geral que deseje conhecer mais sobre a história loco regional afro-brasileira, incluindo escolas, universidade, movimentos sociais, coletivos, organização não governamentais. PArticipam do projeto de extensão que busca promover esse evento a Associação de capoeira Raízes de Aruanda.A ONG (Organização não governamental) Associação de Capoeira Raízes de Aruanda existente há 17 anos. A instituição tem histórico de trabalho social voltado para comunidades carentes da cidade de Macaé, Rio Bonito e Silva Jardim e é instituição tradicional na região sore a promoção da história e cultura afro-brasileira. Em seu início eram feitas arrecadações em almoços e entre amigos para a compra de lanches, uniformes e instrumentos para realizar oficinas de capoeira. O projeto tornou-se uma tradição nas comunidades onde antigos alunos tornaram-se multiplicadores. A Associação ampliou suas atividades para além das oficinas de capoeira,e, hoje, assiste aproximadamente 250 crianças e adolescentes. A ONG Raizes de Aruanda busca proporcionar à crianças e jovens a inclusão social oferecendo espaço para o desenvolvimento de tecnologia da informação, oferece oficinas voltadas para confecção de berimbau, caxixi e encourar atabaques; aulas de literatura; canto; aprendem a tocar instrumentos como o berimbau, pandeiro, atabaque; participam de samba de roda, maculelê, teatro, puxada de rede; produzem e assistem videos e documentários educativos. A ONG Raízes de Aruanda também visa o intercâmbio de valores, costumes e pensamentos; realizam viagens para conhecer cidades remanescentes de quilombolas, museus e bibliotecas; e conhecer e ouvir histórias de ancestrais afrodescendentes. Tem como maior objetivo agregar a comunidade afrodescendente que vive na exclusão social e torná-los conscientes da rede intercultural na qual estão enlaçados, reempossá-los enquanto cidadãos conhecedores de seus direitos e deveres. Consideram que para reverter os prejuízos históricos e sociais é necessário aplicar medidas que reparem e compensem adotando-se ações afirmativas para valorizar a população, trabalhar a autoestima, o reconhecimento e fortalecimento da imagem afim de estabelecer efetiva igualdade de oportunidades. A ampliação das ações já desenvolvidas está vinculada a promoção da qualidade de vida e da dignidade. A ONG espera junto ao projeto AxéSaúde o combate à discriminação racial e potencializar o empoderamento sócio cultural de membros da comunidade e da universidade.
Situação
  Atividade EM ANDAMENTO
Contato
   A divulgação poderá ser realizada no site oficial da Universidade Federal do Rio de Janeiro - Campus Macaé, no site Oficial do Núcleo de Estudos Afro-brasileiro da Cidade Universitária de Macaé (NEAB Macaé), assim como nos jornais regionais e rádios.
«« Voltar