«« Voltar
Avaliação de co-morbidades em cães portadores de Leishmania sp. em Campo Grande/MS
Protocolo do SIGProj:   267017.1430.423.30102017
De:04/12/2017  à  27/10/2019
 
Coordenador-Extensionista
  Andre Luis Soares da Fonseca
Instituição
  UFMS - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Unidade Geral
  INBIO - Instituto de Biociências
Unidade de Origem
  CPQ - Comissão Setorial de Pesquisa
Resumo da Ação de Extensão
  As leishmanioses são doenças infecciosas não contagiosas causadas por protozoários do gênero Leishmania e transmitidas pela via sexual (transmissão horizontal), pela reprodução (transmissão vertical) e pela picada de moscas do gênero Flebótomo (transmissão metaxêmica). Existem três formas de manifestação clínica da doença. A forma visceral (Leishmaniose Visceral) é a forma mais grave delas e é mortal se não tratada. As formas cutânea (Leishmaniose Tegumentar) e muco-cutânea (Leishmaniose muco-cutânea) são manifestações não mortais, mas podem ser deformantes. Os mamíferos em geral são reservatórios da doença, com destaque para os roedores e os canídeos. No ambiente urbano o cão é o reservatório mais bem estudado e por isso considerado atualmente com o principal reservatório. Em Campo Grande/MS estima-se que 17% dos cães sejam portadores de Leishmania sp. Os animais podem se apresentar assintomáticos, oligo ou polissintomáticos e a causa da morte geralmente é devida a lesão renal grave. A variação de sintomas nas leishmanioses geralmente é consequência da queda de resistência imunológica e frequentemente observam-se comorbidades como dermatomicoses, onicomicoses, piodermites bacterianas, osteomielites, pan-oftalmites etc. Em exames hematológicos é casual o encontro de hemoparasitas como Ehrlichia sp. dentre outros. Alterações na resposta imune como a presença de autoanticorpos também pode ser encontrada. O presente trabalho visa realizar, a partir da soroteca de soros de cães com leishmaniose da disciplina de Imunologia/UFMS, testes sorológicos para diversas patologias como Erlichiose, Anaplasmose, Doença de Chagas, Doença de Lyme, Dirofilariose, Doença de Chagas, Toxoplasmose e Artrite Reumatoide no sentido de identificar possíveis comorbidades relacionadas à leishmaniose canina.
Palavras-chave
   Leishmanioses, Hematozoários, Doenças Autoimunes
Público-Alvo
  
Situação
  Atividade EM ANDAMENTO
Contato
  
«« Voltar