«« Voltar
A atuação dos psicólogos jurídicos na Escuta Especial
Protocolo do SIGProj:   265984.1136.1884.29032017
De:01/02/2017  à  01/02/2020
 
Coordenador-Extensionista
  Lourdes Rosalvo da Silva dos Santos
Instituição
  UEMS - Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul
Unidade Geral
  PROPP - Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação
Unidade de Origem
  DPG - Divisão de Pós-Graduação
Resumo da Ação de Extensão
  Este projeto objetiva tratar sobre a atuação do psicólogo no campo jurídico, e na metodologia de escuta especial de crianças e adolescentes. Na atualidade, os psicólogos jurídicos atuam junto ao Poder Judiciário em diferentes níveis de complexidade dos fenômenos psicológicos no âmbito da Justiça, mas atuam diretamente e em conjunto com o juiz nos casos de escuta especial de acordo com o procedimento traçado pela Lei, sem margem para analises ou intervenções psicológicas, mas apenas na coleta do depoimento sob a instrução do juiz de direito, após terem sido capacitados pelo próprio Poder judiciário para atuar nestas audiências especiais onde devem seguir o rito proposto pelo código de processo e pela Lei. Esta nova metodologia teve inicio em 2010 e foi implementada em vários estados brasileiros, sendo promulgada a Lei que determina a metodologia como forma obrigatória. Pretende-se analisar a opinião dos psicólogos nesta metodologia ouvindo a opinião destes no que pertine a seu posicionamento sobre a escuta especializada vez que o Conselho federal da Categoria os proíbe de atuar nesta metodologia. Quanto ao métodos, serão utilizados os métodos métodos analítico e dialético, este aristotélico, vez que, para Aristóteles, a dialética é sempre um método da aplicação da lógica formal a respeito da apreensão da verdade, na sua acepção clássica vez que se inicia com aplicação dedutiva elaborada a partir das premissas consideradas verdadeiras dentro do princípio da não contradição. Os resultados mostrarão se a atuação destes profissionais apresentam benefícios ou malefícios aos infantes.
Palavras-chave
   psicólogo juridico, escuta especial, acesso à justiça
Público-Alvo
  
Situação
  Atividade EM ANDAMENTO
Contato
  
«« Voltar