«« Voltar
Avaliação da parede intestinal de ratos diabéticos tratados com extrato de Schinus terebinthifolius Raddi
Protocolo do SIGProj:   263729.1430.194378.12052017
De:01/03/2018  à  01/12/2020
 
Coordenador-Extensionista
  Catchia Hermes Uliana
Instituição
  UFMS - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Unidade Geral
  CPCX - Câmpus de Coxim
Unidade de Origem
  CPQ - Comissão Setorial de Pesquisa
Resumo da Ação de Extensão
  O Diabetes mellitus é uma síndrome de etiologia múltipla caracterizada por hiperglicemia crônica, que induz o aumento na produção de espécies reativas de oxigênio e diminuição das defesas antioxidantes. Drogas que reduzem o estresse oxidativo podem ter um papel relevante no tratamento das complicações do diabetes. Dentre as inúmeras espécies vegetais com potencial terapêutico, destaca-se a Schinus terebinthifolius Raddi, largamente utilizada como adstringente, antidiarreica, antiinflamatória, depurativa, diurética, antitérmica, além de combater lesões, úlceras de pele e mucosas, inflamações do útero e sistema digestivo. Sendo assim, levando em consideração o potencial terapêutico demonstrado pela referida planta, o objetivo deste trabalho é avaliar o seu efeito na parede do intestino grosso de ratos diabéticos. Para isso, serão utilizados Rattus norvegicus adultos machos com 86 dias de idade, distribuídos em 4 grupos com 10 animais cada: normoglicêmico (N), normoglicêmico tratado com extrato bruto hidroetanólico (NT), diabético induzido pela estreptozootocina (D) e diabético induzidos pela estreptozootocina e tratado com extrato bruto hidroetanólico (DT). Os animais receberão ração balanceada padrão Nuvital (Nuvilab, Colombo, PR, Brasil). Os animais dos grupos NT e DT serão tratados através de gavagem para a administração oral do extrato vegetal na dose de 50 mg/kg por dia. Ao final de 60 dias de tratamento, os animais serão mortos e o intestino removido e submetido a rotina histológica. Será realizada avaliação da parede intestinal e medidas comparativas entre os grupos. Todos os resultados serão submetidos a ANOVA seguida de pós teste de Tukey. O nível de significância será de 5%.
Palavras-chave
   Aroeira, diabetes mellitus, intestino, Schinus terebinthifolius
Público-Alvo
  
Situação
  Atividade EM ANDAMENTO
Contato
  
«« Voltar