«« Voltar
Fique Seguro
Protocolo do SIGProj:   261342.1344.241041.02032017
De:01/05/2017  à  30/11/2017
 
Coordenador-Extensionista
  Janine Bendorovicz Trevisan
Instituição
  IFRS - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul
Unidade Geral
  Bento Gonçalves - Câmpus Bento Gonçalves - Extensão
Unidade de Origem
  EXT - Extensão
Resumo da Ação de Extensão
  Segundo dados da Brigada Militar de Bento Gonçalves, o número de assaltos a pedestres aumentou 24,6% em 2016 com relação à 2015. A nível estadual, considerando os anos de 2011 e 2014, o aumento no número de furtos de veículos foi de 4331. Em relação ao assédio sexual e à violência contra a mulher no Rio Grande do Sul, o número de estupros ocorridos no ano de 2014 totalizou 3211. Objetiva-se catalogar informações sobre o perfil da vítima de cada caso de agressão e sobre os locais onde ocorrem os crimes, com o intuito de alertar a população sobre os locais mais perigosos, para que redobrem os cuidados e diminuam os índices de violência. Primeiramente, será feita a catalogação de informações sobre a violência em Bento Gonçalves e no estado do RS, incluindo denúncias já registradas. Depois, se iniciará a construção do software Fique Seguro para registro de denúncias diversas: violência física, assédio, homofobia, racismo, assalto. Essa plataforma também reunirá um perfil da vítima (sexo, cor, renda, escolaridade, etc.) através de um formulário no próprio ambiente virtual. Imediatamente, será feita a divulgação em escolas de ensino fundamental e médio de Bento Gonçalves e em órgãos de combate à violência na região. Por último, os dados coletados durante o projeto serão organizados para subsidiar ações futuras. Espera-se assim obter mais informações para a construção de projetos de continuidade ao combate à violência na cidade e no estado, além de alertar a população sobre as áreas onde há maior registro de denúncias.
Palavras-chave
   Prevenção à violência, Criminalidade, Homofobia, Assaltos, Racismo
Público-Alvo
  O público-alvo será constituído majoritariamente da população de áreas do Rio Grande do Sul com déficit de segurança pública e de outros grupos específicos como população LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, transsexuais e demais indivíduos que não se encaixam nos padrões sociais de gênero e sexualidade); mulheres vítimas de assédio sexual; homens e mulheres vítimas de racismo; demais pessoas que se encontrem em situação de violência. O escopo do público-alvo pode ser expandido conforme surja a necessidade de abrangência de outros grupos sociais e estima-se atingir cerca de 100 pessoas até o encerramento do projeto, já que será realizada a divulgação da proposta em algumas escolas de Bento Gonçalves, bem como em órgãos como a Delegacia da Mulher, Delegacia de Polícia, entre outros.
Situação
  Atividade EM ANDAMENTO
Contato
  
«« Voltar