«« Voltar
'Conversação' com professores de educação infantil sobre suas experiências com alunos autistas incluídos em classes regulares
Protocolo do SIGProj:   261060.1347.125203.25042017
De:01/04/2017  à  30/12/2017
 
Coordenador-Extensionista
  Maria Angélica Augusto de Mello Pisetta
Instituição
  UFF - Universidade Federal Fluminense
Unidade Geral
  ESE - Faculdade de Educação
Unidade de Origem
  SFP - Departamento de Fundamentos Pedagógicos
Resumo da Ação de Extensão
  A inclusão de alunos autistas é uma realidade recente e desafiadora. Há algumas décadas atrás, somente as escolas especiais e as organizações não governamentais recebiam a tarefa de receber essa incumbência. Com o avanço social os alunos diagnosticados como autistas passaram a circular pelo universo escolar formal. Um trabalho novo, um a um, precisa ser então inventado e conduzido, por professores, alunos, equipe escolar, em torno do que não se conhece. Nestes termos, é uma grande oportunidade de produção de novas formas de relação, imprevistas e inovadoras. Neste projeto pretendemos ouvir, através da conversação, em grupo, as demandas de vinte professores da educação infantil da rede pública municipal de Petrópolis, divididos em dois grupos, sobre os impasses, as construções, o cotidiano, a angústia ligada à falta de saber, enfim, sobre suas experiências com esta inclusão, visando definir o mais possível o trabalho de construção que se apresenta em torno destas experiências. Partimos da expectativa de que trabalhar na sustentação da subjetividade dentro da escola é um campo de abertura ao analista, na psicanálise aplicada à educação. O projeto pretende circunscrever as relações estabelecidas, situar a conversação como método de atuação na psicanálise aplicada e fomentar a construção de saberes particulares. Entendemos que esta inclusão pode proporcionar à comunidade escolar, de modo geral, experiências de construção de relações imprevistas e absolutamente diferentes das habituais com as quais a escola lida. Pode também proporcionar aos alunos, indireta e diretamente, experiências subjetivantes e constituintes de sua relação com o mundo.
Palavras-chave
   autismo, educação infantil, docência, psicanálise aplicada, conversação
Público-Alvo
  O publico alvo diretamente atingido pela ação são os professores e educadores (vinte professores e educadores) que trabalham atualmente com pelo menos um aluno diagnosticado como autista incluído em classe regular de educação infantil. De modo indireto o publico alvo aumenta consideravelmente, compreendendo os alunos incluídos e seus pares, alunos das mesmas turmas, outros professores e coordenadores das escolas, pais e responsáveis dos mesmos
Situação
  Atividade EM ANDAMENTO
Contato
  
«« Voltar