«« Voltar
Ações Integradas de Prevenção e Controle da Esporotricose Animal
Protocolo do SIGProj:   258416.1395.48748.10032017
De:03/04/2017  à  22/12/2017
 
Coordenador-Extensionista
  Elisabeth Martins da Silva da Rocha
Instituição
  UFF - Universidade Federal Fluminense
Unidade Geral
  CMB - Instituto Biomédico
Unidade de Origem
  MIP - Departamento de Microbiologia e Parasitologia
Resumo da Ação de Extensão
  A esporotricose é uma zoonose negligenciada. No estado do Rio de Janeiro, uma epidemia sem precedente no mundo afeta o homem e os felinos domésticos, levando a determinação da notificação compulsória neste estado. É contudo sabido que essa micose afeta grande número de hospedeiros, também fora da área metropolitana da capital. O isolamento do agente em cultura constitui o padrão ouro para diagnóstico, que permite o tratamento eficaz e subsequente notificação. Esse projeto realizará divulgação informativa de ações educativas dessa zoonose ao público em geral e, de forma diferenciada, aos médicos veterinários e agentes comunitários. Além disso, será oferecido atendimento e diagnóstico laboratorial, cruciais para o enfrentamento da doença, gratuitos aos animais acometidos. Para tanto, estarão envolvidos a Universidade Federal Fluminense, por meio de seus docentes, pós-graduandos e discentes vinculados aos cursos de graduação em medicina veterinária e outros cursos da área da saúde, em interação com o Centro de Controle de Zoonoses de Niterói, região metropolitana do RJ. Pretende promover aos discentes o equilíbrio entre teoria e prática com diversificação dos cenários de aprendizagem; ao mesmo tempo articulando ensino, pesquisa e extensão, democratizando o conhecimento acadêmico. O conhecimento adquirido na comunidade, por sua vez, retornará à IES em seus âmbitos educativo e científico, agora vivenciados. Com mais de 500 animais assistidos entre 2014-2016, tendo 100% das notificações da esporotricose animal em Niterói resultantes das ações extensionistas aqui apresentadas, acreditamos que a sua continuidade contribuirá para o futuro estabelecimento de medidas especificas de prevenção e controle desta importante zoonose.
Palavras-chave
   Zoonose, Epidemia, Diagnóstico, Felino, Educação em Saúde
Público-Alvo
  O público-alvo constitui populações de áreas endêmicas para a esporotricose, uma zoonose negligenciada que atingiu proporções epidêmicas no Rio de Janeiro, residentes em regiões distintas do município de Niterói e adjacências (Região Metro II - Leste Fluminense). - Protetores responsáveis por gatis e ONGs e tutores de animais (gatos e cães), que buscam atendimento a fim de obter informações sobre a doença, orientações referentes ao tratamento e avaliação clínica e diagnóstico laboratorial, além de precauções contra a disseminação ambiental, para outros animais e membros da família. - Profissionais de saúde animal, a saber, médicos veterinários de pequenos animais e e agentes comunitários de saúde da FMS/PMN/Niterói que buscam informações atualizadas sobre a epidemia e a evolução e tratamento da esporotricose, em especial dos casos refratários. As ações aqui previstas permitirão ainda a vivência prática do aprendizado por discentes de diversos cursos da área da saúde, quanto dos estudantes de medicina veterinária, tanto na assistência à população e de seus animais, quanto nas atividades laboratoriais.
Situação
  Atividade EM ANDAMENTO
Contato
   - Mala direta aos médicos veterinários (CRMV-RJ). - Divulgação via redes sociais – Facebook - Imprensa local e regional - Folders: via comunicação interpessoal da equipe LMMI-UFF e médicos veterinários com a população - Cartazes: afixados nas unidades de saúde, nos ambulatórios do projeto, nas clínicas veterinárias e pet shops
«« Voltar