«« Voltar
II SEMINÁRIO INTEGRADO GEADH - (Grupo de Estudos Agrários de Dirietos Humanos- UFT/Campus Araguaína) e CPT (Comissão Pastoral da Terra): Os movimentos sociais e a expropriação camponesa para a expansão do território do agronegócio: conflito e resistência
Protocolo do SIGProj:   251424.1138.93552.28112016
De:10/05/2017  à  11/05/2017
 
Coordenador-Extensionista
  Alberto Pereira Lopes
Instituição
  UFT - Universidade Federal do Tocantins
Unidade Geral
  CUA - Campus de Araguaína
Unidade de Origem
  GEO-Lic - GEOGRAFIA (Licenciatura)
Resumo da Ação de Extensão
  A estrutura fundiária brasileira baseia-se na concentração da terra nas mãos de poucos, constituída desde da nossa história pela exploração da mão de obra seja ela escrava ou livre para a produção da monocultura e acumular riquezas. Dessa maneira, as políticas da questão agrária no Brasil sempre valorizou o´poder de dominação dos donos dos meios de produção, criando leis para favorecer a expansão da grande propriedade e garantir a concentração das riquezas. Dessa maneira, o Estado sempre ficou favorável as oligarquias até porque o mesmo era representado pelos os donos dos meios de produção- os capitalistas. A concentração de renda no Brasil trouxe um resultado avassalador para a sociedade a desigualdade social, seja no campo ou na cidade. No campo, o próprio Estado criou um exército de mão de obra barata como no caso a criação de colônias para trabalhadores livres em substituição da mão de obra escrava. O campo, foi invadido por movimentos que resistiram durante séculos os conflitos, a as violências e outras barbáries que até hoje vivenciamos. É neste contexto, que o seminário tratará com a participação de professores e instituições, entidades para discutir a questão agrária, e seus resultados nefastos para a população camponesa que tem sido expropriada de seu lugar, para dar lugar a territorialização do agronegócio, como negócio rentável para os donos dos meios de produção pautados em grandes tecnologias e produtividade, como também pautados na desigualdade, violência, e degradação ambiental.
Palavras-chave
   Questão agrária, Movimentos sociais, Conflito, violência
Público-Alvo
  Professores, Alunos, Comissão Pastoral da Terra, movimentos sociais.
Situação
  Atividade COM RELATORIO FINAL
Contato
   O contato será na Universidade Federal do Tocnatins, Setor Cimba - Laboratório do Grupo de Estudos Agrários e Direitos Humanos- TEl: 99254-7656 Falar com Prof. Alberto ; E na CPT Com Edmundo no TEl. 63-99237-9460
«« Voltar