«« Voltar
VIGIASIFI: Programa de Vigilância da Sífilis Congênita (Cópia) 19-09-2016 (Cópia) 18-10-2016
Protocolo do SIGProj:   250489.1312.39110.18102016
De:11/11/2016  à  11/11/2017
 
Coordenador-Extensionista
  Janaina Miranda Bezerra
Instituição
  UFMA - Universidade Federal do Maranhão
Unidade Geral
  CCSST - Centro de Ciências Sociais, da Saúde e Tecnologia
Unidade de Origem
  Enfermagem - Coordenação de Enfermagem
Resumo da Ação de Extensão
  A sífilis congênita ainda persiste como um importante desafio para a saúde pública. No Brasil, mostra-se como um evento de alta magnitude com indicadores desfavoráveis. Para o o controle da sífilis congênita o estabelecimento das ações de vigilância epidemiológica deve ser encarado como uma estratégia direcionada e pautada no contexto epidemiológico local. O VIGIASIFI: vigilância da Sífilis Congênita foi implantado em 2014 por meio da concessão de duas bolsas de extensão e nasceu da necessidade do serviço de enfermagem do HRMI em melhor aplicar e adotar os protocolos já estabelecidos pelo Ministério da saúde e em realizar uma notificação criteriosa, promovendo uma assistência organizada, humanizada e direcionada as gestantes/puerperas e RN com teste sorológico positivo para que elas entendam a sua patologia, riscos e necessidades. E também, oportunizar aos parceiros destas gestantes/puerpera um aconselhamento sobre a doença e teste sorológico. O HRMI utiliza o teste não treponêmico como diagnóstico seguindo protocolo nacional. A puérpera e RN com sorologia positiva, no entanto, após o período de internação, não recebia orientações quanto ao acompanhamento da criança pelos próximos 18 meses de vida. O projeto visa a notificação, aconselhamento e orientações sobre a doença, como formas de diagnóstico, tratamento e acompanhamento. Esta lacuna precisava ser preenchida e acreditamos que UFMA tem colaborado substancialmente para a melhoria da assistência dos pacientes com diagnóstico de Sífilis do HRMI. Entretanto, em um ano de implantação do projeto percebemos que ainda existe um longo percurso para estabelecimento de um fluxograma de atendimento.
Palavras-chave
   Sífilis, gestantes, congênita, testes sorológicos
Público-Alvo
  Participaram das palestras: a) Gestantes que obtiveram teste não treponêmico positivo, independentemente da titulação; b) parceiros de gestantes com teste não treponêmico positivo; c) Puérperas que estão em acompanhamento de recém nascidos que apresentaram teste não treponêmico
Situação
  Atividade COM RELATORIO FINAL
Contato
  
«« Voltar