«« Voltar
LEVANTAMENTO DO USO DE PLANTAS MEDICINAIS PELA COMUNIDADE INDÍGENA DA ILHA DO BANANAL, TOCANTINS
Protocolo do SIGProj:   249694.1317.199193.07102016
De:03/11/2016  à  03/05/2017
 
Coordenador-Extensionista
  Gil Rodrigues dos Santos
Instituição
  UFT - Universidade Federal do Tocantins
Unidade Geral
  CUG - Campus de Gurupi
Unidade de Origem
  DIR Gurupi - Direção do Campus de Gurupi
Resumo da Ação de Extensão
   Assim como na região Amazônica, no estado do Tocantins existem diversas comunidades indígenas tradicionais. Sabe-se que atualmente existem uma população de seis mil índios aproximadamente no estado, distribuídos em sete etnias: Karajá, Xambioá, Javaé (que formam o povo Iny), Xerente, Krahô Canela, Apinajè e Pankararú, em mais de 82 aldeias, em todas as regiões do estado. A Ilha do Bananal localizada no estado do Tocantins, é a maior ilha genuinamente fluvial do mundo, cercada pelos rios Araguaia e Javaés. A ilha é considerada um dos santuários ecológicos mais importantes do país por estar na faixa de transição entre a Floresta Amazônica e o cerrado, apresentando, assim, fauna e flora bastante diversificadas. Desde antes da descoberta do Brasil, a Ilha do Bananal é habitada por índios. No presente, existem alguns grupos indígenas presentes nas aldeias da ilha, especialmente das etnias Carajás, Javaés, Tapirapés, Tuxás e os Avá-Canoeiros (mais conhecidos na região pelo apelido de Cara-Preta). A alimentação destes povos, assim como as cerimônias e rituais, é exclusivamente de materiais retirados da natureza; possuem uma religião baseada na existência de forças e espíritos da natureza, rituais de cura e o uso de plantas medicinais (ervas) da natureza para o tratamento das doenças.
Palavras-chave
   Plantas medicinais, remedios, indios, ilha fluvial, Tocantins
Público-Alvo
  
Situação
  Atividade COM RELATORIO FINAL
Contato
  
«« Voltar