«« Voltar
Fazendas de água: impacto produtivo e ambiental de novas tecnologias sociais em propriedades rurais da microbacia dos rios Jundiá e das Ostras.
Protocolo do SIGProj:   242993.1276.56893.29072016
De:25/10/2016  à  29/06/2020
 
Coordenador-Extensionista
  Francisco Martins Teixeira
Instituição
  UFRJ - Universidade Federal do Rio de Janeiro
Unidade Geral
  Macaé - Campus UFRJ-Macaé Professor Aloísio Teixeira
Unidade de Origem
  Ajuda - Polo Ajuda
Resumo da Ação de Extensão
  A quantidade e a qualidade da água têm surgido como um dos principais problemas discutidos na atualidade pela comunidade científica e a sociedade. Neste contexto a agricultura tem um papel crítico e dicotômico, uma vez que contribui por aproximadamente 85% do consumo total de água no mundo, ao mesmo tempo representa a atividade que, quando bem empregada e gerenciada, pode contribuir para a preservação das nascentes e outras fontes de abastecimento de água. As dificuldades impostas pela variação climática e pluviométrica observada nas últimas décadas, a urbanização e a especulação imobiliária, associada ao desmatamento, exigem dos proprietários rurais uma nova postura quanto ao gerenciamento dos recursos hídricos e de suas capacidades de produção sem negligenciar os recursos disponíveis e as questões associadas à sua sustentabilidade. Os programas Rio Rural e produtor de água são exemplos de ações que desenvolvem, apoiam, orientam e certificam projetos voltados para adoção de práticas e manejos conservacionistas por parte dos agricultores, favorecendo a conservação do solo e da água. Assim, o fortalecimento da agricultura familiar é uma estratégia interessante onde a agricultura está enfraquecida diante das diversas pressões socioeconômicas circundantes. Nosso projeto tem por objetivo principal elaborar e instituir tecnologias sociais para a conservação e preservação da quantidade e da qualidade da água proveniente de propriedades rurais da microbacia dos rios Jundiá e das Ostras, monitorando as variáveis que fornecerão dados para pesquisa, extensão e ensino, sem deixar de lado o fomento local à atividade agroecológica que gere renda e qualidade de vida às comunidades.
Palavras-chave
   quantidade e qualidade da água, recuperação de nascentes, tecnologias sociais, agricultura climaticamente inteligente, controle de qualidade
Público-Alvo
  Nossa estimativa é de atender direta e indiretamente cerca de 1800 pessoas distribuídas em 8 comunidades que estão dentro do território da microbacia.
Situação
  Atividade EM ANDAMENTO
Contato
   Com o andamento da proposta pretendemos colocar em andamento um projeto de pagamento por serviços ambientais, que necessitará de ampla divulgação por meio de cartazes, folders e páginas informativas na intenet. Esta estratégia faz parte do cronograma de ações do projeto de extensão e já conta com a parceria e colaboração da EMATER-RIO e pretende formar parcerias com outras instituições como o SENAR, a SEMAP e o Comitê de Bacias Hidrográficas dos Rios Macaé e das Ostras, além de já estar em negociação com Organizações não governamentais, proprietários rurais e outros potenciais usuários-pagadores da microbacia dos rios Jundiá e Ostras.
«« Voltar