«« Voltar
Avaliação da contaminação por glifosato utilizado nos processos de restauração ambiental em áreas de preservação permanente na Bacia do Guariroba
Protocolo do SIGProj:   238219.1244.35511.30052016
De:01/08/2016  à  01/08/2017
 
Coordenador-Extensionista
  Alexandra Penedo de Pinho
Instituição
  UFMS - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Unidade Geral
  CCBS - Centro de Ciências Biológicas e da Saúde
Unidade de Origem
  GAB/CCBS - Gabinete do Diretor
Resumo da Ação de Extensão
  A ocupação da pecuária em Mato Grosso do Sul foi desordenada, sem preservação ambiental e dos mananciais, ocorrendo a retirada da cobertura vegetal dentro das Áreas de Preservação Permanente (APP). Estas ações resultaram na diminuição da infiltração do escoamento superficial, maior transporte de sedimentos e poluentes, reduzindo o nível e qualidade dos aquíferos. Campo Grande é circundada por extensas áreas com atividades agropecuárias. A bacia hidrográfica que abastece mais de 50% da cidade é a do Guariroba, a qual 82% é ocupada por pastagens, com APPs degradadas, sendo que a restauração destas utiliza-se o glifosato para controlar a gramínea exótica. Apesar da elevada eficiência e de ser o herbicida mais vendido no mundo, o glifosato é um potencial contaminante ambiental, pois é altamente hidrossolúvel, com relatos de detecção em águas superficiais. No meio ambiente, o glifosato é biodegradado em seu principal metabólito, o ácido aminometilfosfônico, que apresenta toxicidade similar, com persistência em solos, água e sedimento aquático. Há uma carência de estudo no estado, e especialmente na APA do Guariroba sobre a o comportamento do glifosato junto ao ciclo hidrológico da bacia, bem como das suas concentrações nas águas superficiais, e no reservatório que abastece a população de Campo Grande.
Palavras-chave
   agrotóxicos, contaminação ambiental, vigilância ambiental
Público-Alvo
  
Situação
  Atividade CONCLUÍDA
Contato
  
«« Voltar