«« Voltar
Estudos fundamentais dos processos eletroquímicos de oxidação avançada em escala de bancada e planta pré-piloto utilizando radiação solar para o tratamento de resíduos de fármacos e agroquímicos
Protocolo do SIGProj:   237981.1236.22819.23052016
De:01/03/2016  à  28/02/2019
 
Coordenador-Extensionista
  Amilcar Machulek Junior
Instituição
  UFMS - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Unidade Geral
  INQUI - Instituto de Química
Unidade de Origem
  CSP/INQUI - Comissão Setorial de Pesquisa
Resumo da Ação de Extensão
  Como consequência direta da atividade industrial, o meio ambiente recebe uma grande variedade de produtos químicos potencialmente tóxicos, que não é capaz de eliminar. A natureza refratária de vários destes compostos, que se encontra em efluentes aquosos, faz com que os tratamentos de depuração convencionais como a oxidação biológica resultem ineficazes. Os métodos tradicionais (não destrutivos) de eliminação de contaminantes por separação como, por exemplo, a adsorção com carvão ativado, membranas ou a dessorção com ar, passa a contaminação para a outra fase, deixando por resolver o problema de localização da contaminação transferida. Devido ao alto potencial poluidor e riscos a saúde, tornam-se imprescindíveis novos estudos para o tratamento de resíduos de agroquímicos e fármacos onde os POA são umas das alternativas mais promissoras. A presente proposta tem como objetivo geral o estudo de métodos de tratamento ou pré-tratamento de efluentes contendo resíduos de agroquímicos e fármacos provenientes do setor agrícola e dos hospitais da região do Estado de Mato Grosso do Sul utilizando processos eletroquímicos oxidativos avançados (PEOAs). Desta forma, os PEOAs têm sido amplamente investigados, com objetivo de viabilizar sua aplicação no tratamento de águas contaminadas com agentes orgânicos desta natureza.
Palavras-chave
   fotoeletro-Fenton solar, eletrodegradação, agroquímicos, fármacos
Público-Alvo
  
Situação
  Atividade EM ANDAMENTO
Contato
  
«« Voltar