«« Voltar
Liga de Humanização e Ética Projeto Bem-me-Quer/Contação de Histórias - CACES 2016
Protocolo do SIGProj:   224547.1135.18496.10022016
De:01/06/2016  à  30/04/2017
 
Coordenador-Extensionista
  Emerson Henklain Ferruzzi
Instituição
  UFGD - Universidade Federal da Grande Dourados
Unidade Geral
  FCS - Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde
Unidade de Origem
  Med. - Medicina
Resumo da Ação de Extensão
  O Projeto Bem-me-Quer – Promovendo Saúde através da Solidariedade, criado pelo Centro Acadêmico Camilo Ermelindo da Silva do curso de Medicina, em parceria com a Gerência de Ensino do Hospital Universitário de Dourados, tem por principal objetivo a realização da Humanização em Saúde. O projeto piloto teve seu início em junho de 2007 com o intuito de promover a humanização hospitalar. O projeto pretende amenizar o estresse causado pela enfermidade, processo de atendimento médico e crianças e o processo de internação hospitalar. As ações do “Bem-me-Quer” têm a intenção de colaborar para a recuperação e melhorar a comunicação entre profissionais de saúde, paciente e acompanhante através das várias formas de metodologia utilizadas, como lúdica e narrativa. Vinte (20) acadêmicos de vários cursos da UFGD e UEMS estarão envolvidos neste trabalho. A proposta é executar as atividades aos sábados no período vespertino. O trabalho contará com apoio psicológico, palestra sobre humanização e biossegurança e cursos com oficinas preparatórias.
Palavras-chave
   Humanização, Voluntário, Ética, Contação de Histórias
Público-Alvo
  Os pacientes internados nas enfermarias Pediátrica, de Clínica Médica e Cirúrgica, do Hospital Universitário de Dourados, uma instituição 100% SUS, que recebe pacientes de toda a região sul do Estado (área mais populosa), incluindo oriundos das aldeias indígenas, principalmente da etnia Guarani/Kaiuá, e, em alguns casos, até mesmo do Paraguai. Além dos pacientes, compõe o público-alvo os acompanhantes e visitantes, equipe de saúde e demais funcionários, pessoas que aguardam na sala de espera e os próprios acadêmicos. Área de isolamento, UTI pediátrica e a adulta e Enfermaria de Ginecologia e Obstetrícia em certas circunstâncias. Somam, durante os dez meses, em torno de sete mil (7.000) pessoas. Aproximadamente quarenta (40) crianças do Lar Santa Rita, uma instituição mantida em 40% pela Prefeitura de Dourados e dependente de doações para completar seu orçamento. Tais crianças foram abandonadas ou tiveram a guarda dos pais retirada e participam de um programa de assistência social e saúde preventiva. Em torno de quarenta e cinco (45) idosos residentes no Asilo da Velhice Desamparada de Dourados (Lar do Idoso), uma instituição não governamental, mantida através de doações e existente há cerca de cinquenta e oito (58) anos. Além desses, há os visitantes, a equipe de saúde e os demais funcionários. Tendo em vista o perfil social de cada uma das instituições supracitadas, Vemos a abrangência das ações do projeto, que atingirão pacientes de várias faixas etárias, culturas e etnias.
Situação
  Atividade CONCLUÍDA
Contato
   Aline Paterlini Araújo dos Santos (67) 9179 4201 Camila do Carmo Siqueira (67) 8106 4397
«« Voltar