«« Voltar
Filogeografia e Biologia Comparada de troglóbios freáticos na Bacia do Pantanal
Protocolo do SIGProj:   215085.1003.9714.22092015
De:01/05/2015  à  01/04/2018
 
Coordenador-Extensionista
  Gustavo Graciolli
Instituição
  UFMS - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Unidade Geral
  CCBS - Centro de Ciências Biológicas e da Saúde
Unidade de Origem
  PPGBA - Aluno(a) doPrograma de Pós-Graduação em Biologia Animal
Resumo da Ação de Extensão
  As cavernas constituem ambientes extremos, caracterizados principalmente pela ausência permanente de luz e baixa produtividade orgânica. No meio aquático de regiões cársticas (relevos de rochas solúveis), uma rede de aquífero em condutos pode ser formada naturalmente e moldar a distribuição das espécies que ali habitam ao longo do tempo. Nos entornos da planície Pantanal são conhecidos relevos cársticos, atualmente descontínuos, mas que constituem um conjunto geológico correlato, de origem Ediacarana, associados à estrutura tectônica da Faixa Paraguai. Nessas áreas cársticas (Serra da Bodoquena e Planalto de Corumbá, no MS, e Serra das Araras, no MT), hipoteticamente contínuas em tempos pretéritos (período pré-Pantanal), são conhecidos crustáceos troglóbios freáticos considerados relictos filogenéticos e biogeográficos, são eles Potiicoara brasiliensis (Spelaeogriphacea) e Megagidiella azul (Amphipoda) . Este estudo pretende testar hipóteses biogeográficas, a partir da análise de divergência genética, morfológica e comportamental dos crustáceos troglóbios freáticos e compará-los com os padrões já conhecidos para os peixes subterrâneos da região. Desta forma, pretende-se definir áreas de endemismo para organismos subterrâneos aquáticos na bacia pantaneira e investigar os padrões geomorfológicos e históricos que que afetam sua distribuição.
Palavras-chave
   cavernas, biologia molecular, morfologia, filogeografia, conservação
Público-Alvo
  
Situação
  Atividade COM RELATORIO FINAL
Contato
  
«« Voltar