«« Voltar
Delimitação taxonômica do complexo Aspidosperma quebracho-blanco e A. triternatum (Apocynaceae) com base em caracteres morfológicos e moleculares
Protocolo do SIGProj:   204760.1003.126228.16042015
De:01/10/2014  à  31/12/2018
 
Coordenador-Extensionista
  Maria Ana Farinaccio
Instituição
  UFMS - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Unidade Geral
  CPAN - Câmpus do Pantanal
Unidade de Origem
  GAB/CPAN - Gabinete do Diretor
Resumo da Ação de Extensão
  Apocynaceae é vastamente disseminada em regiões tropicais e subtropicais e com poucos gêneros atingindo as regiões temperadas. Possui ca. 400 gêneros e 3700 espécies, é uma das maiores famílias de angiospermas, no Brasil ocorrem cerca 850 espécies em 95 gêneros. Dentre os gêneros de Apocynaceae, destacamos Aspidosperma, um gênero neotropical com cerca de 70 espécies, ocorre desde o México até a Argentina. Aspidosperma foi dividido em dois subgêneros, Aspidosperma subgen. Coutinia e Aspidosperma subgen. Aspidospermae, este último subdividido em nove secções. Para o Brasil são reconhecidas 52 espécies, a maioria destas ocorre em formações de mata, porém também são encontradas em áreas de cerrado, campo, caatinga, restinga e chaco. Até o momento foram registradas 15 espécies em Mato Grosso do Sul, entre essas, A. triternatum e A. quebracho-blanco, dois importantes táxons das formações chaquenhas, no entanto são de difícil distinção pelas semelhanças morfológicas que apresentam. No Brasil, foram coletadas somente no Mato Grosso do Sul, porém também são encontradas na Argentina, Bolívia e Paraguai e Uruguai, principalmente em formações chaquenhas. Através da utilização de marcadores moleculares, combinados com estudos morfológicos, pretende-se contribuir para o conhecimento de das Apocynaceae, em especial delimitar as espécies do complexo A. triternatum e A. quebracho-blanco e fornecer informações sobre a manutenção da variabilidade genética dessas duas espécies por meio de estudos genético-populacionais com vistas, principalmente a conservação, já que ambas são representativas da vegetação chaquenha, que no Brasil ocupa uma estreita faixa no Estado de Mato Grosso do Sul, fortemente impactada pela pecuária extensiva.
Palavras-chave
   Sistemática Vegetal, Microssatélites, Conservação, Biodiversidade, Chaco
Público-Alvo
  
Situação
  Atividade COM RELATORIO PARCIAL
Contato
  
«« Voltar