«« Voltar
Ambulatório de Cromoblastomicose (Cópia) 31-07-2014
Protocolo do SIGProj:   184455.893.81721.31072014
De:01/09/2014  à  01/09/2015
 
Coordenador-Extensionista
  Conceição de Maria Pedrozo e Silva de Azevedo
Instituição
  UFMA - Universidade Federal do Maranhão
Unidade Geral
  CCBS - Centro de Ciências Biológicas e da Saúde
Unidade de Origem
  DEMEDI - Departamento de Medicina I
Resumo da Ação de Extensão
  O Projeto de Extensão do Ambulatório de Cromoblastomicose destina-se a atender pacientes portadores de cromoblastomicose, bem como pessoas com suspeita da doença; atendimento, este, que contribuirá com a formação profissional de acadêmicos de medicina que acompanham e participam do mesmo. A cromoblastomicose é uma micose subcutânea de aspecto polimórfico, acometendo pele e tecido celular subcutâneo, cujo principal agente etiológico é Fonsecaea pedrosoi. Caracteriza-se pelo surgimento de lesão pápulo-descamativa, que evolui lenta e progressivamente para lesões cutâneas variadas, com sintomatologia discreta. O atendimento concerne à avaliação clínica e, principalmente, à avaliação da resposta imunológica, desses pacientes, frente à doença, uma vez que esta, geralmente, cursa com baixa resposta terapêutica aos métodos disponíveis atualmente. Portanto, este Projeto visa manter os pacientes, e familiares, informados acerca da evolução do quadro patológico, das possíveis alterações imunológicas, dos fatores que influenciam a resposta terapêutica e de como, pessoas expostas ao agente etiológico, podem prevenir a doença. O atendimento acontece às sextas-feiras, a partir das 7:30h às 11:30h, no Centro de Referência em Doenças Infecto-parasitárias (CREDIP) da Universidade Federal do Maranhão (UFMA) e é voltado para a população geral de todo o estado do Maranhão, principalmente para aquela oriunda de regiões endêmicas.
Palavras-chave
   Cromoblastomicose, atendimento, tratamento, prevenção
Público-Alvo
  Pacientes portadores de Cromoblastomicose e pessoas com suspeita da doença. Inclui-se todo o Maranhão, sobretudo regiões endêmicas.
Situação
  Atividade COM RELATORIO FINAL
Contato
  
«« Voltar